O Macunaíma é a escola que mais investe no aluno

Escrito por: Teatro Escola Macunaíma | 9 ago 2017

A construção de um pensamento coletivo

Uma prática cultivada ao longo das últimas décadas, as reuniões semanais do Macu contam com a presença do corpo docente, coordenação e direção da escola. Todas as sextas-feiras, os professores se encontram para aprofundar seus conhecimentos sobre o Sistema Stanislávski e debater assuntos de relevância para a pedagogia teatral. As reuniões são divididas por temas: os encontros coletivos contam com a presença de toda a equipe da escola e visam fortalecer a criação de um pensamento conjunto sobre a docência em teatro no Macunaíma. Já as reuniões específicas são voltadas à reflexão sobre determinados cursos, como o Infantil e o Iniciante, ou disciplinas, como a proposta do Projeto Chama, que objetiva a troca de experiências entre os professores de Interpretação Teatral e a investigação do Método de Análise Ativa, de Constantin Stanislávski.

Totalizando mais de 6 horas de reuniões semanais, o Macu procura, dessa forma, incentivar o diálogo entre seus diretores-pedagogos e o estudo e a experimentação do legado teatral de Stanislávski.

 

A pesquisa do Sistema Stanislávski

No sentido de aprofundar a pesquisa sobre o Sistema Stanislávski, o Macu sempre buscou explorar diferentes abordagens sobre o tema. Renomados discípulos da linhagem do mestre russo, em diferentes períodos, foram convidados para partilhar seus conhecimentos com a equipe da escola, como os diretores: Carlos Tamanine (norte-americano), David Herman (inglês) e Adgur Kove (russo). Mais recentemente, também passaram pelo Macu: Serguey Zemtov, diretor do Teatro de Arte de Moscou, Jurij Alchitz, diretor AKT-ZENT (Berlim), e Alejandro González, professor do Departamento de Artes Cênicas da Universidade do Valle, na Colômbia.  No Brasil, a escola conta também com a colaboração de Elena Vássina, professora das Letras Russas na FFLCH/USP e tradutora dos originais de Stanislávski para o português.

 

A parceria com The Stanislavski Centre

Este ano, o Macunaíma procurou não só trazer o conhecimento de pesquisadores de renome internacional, como também levar sua pesquisa para outras partes do mundo. E, na busca pela troca entre os que procuram manter viva a herança de Stanisláski, a escola tornou-se parceira do The Stanislavski Centre. Sediado em Londres, ele é a primeira e única iniciativa de criar uma comunidade que abriga pessoas e instituições ao redor do mundo interessadas na investigação sobre as teorias e práticas stanislavskianas. A parceria com o Macu foi estabelecida após a participação da escola no Simpósio internacional sobre Stanislávski, realizado em Praga no mês de março deste ano, do qual participaram o diretor do Macu, Luciano Castiel, e as professoras Marcela Grandolpho e Simone Shuba.

 

A documentação e partilha do conhecimento

As pesquisas realizadas pelo corpo docente, coordenação e direção da escola ao longo dos anos têm gerado muitos pensamentos inovadores acerca do legado stanislavskiano e da pedagógica teatral. O resultado desses estudos acabou exigindo a partilha do conhecimento produzido, no sentido de alcançar um maior número de pessoas. Com esse objetivo, foi criado, em 2012, o Caderno de Registro Macu, publicação de caráter formativo, que documenta as investigações sobre Sistema Stanislávski e as práticas metodológicas a ele relacionadas. Com o mesmo propósito, em 2014, nasceu a Coleção Macunaíma no Palco: Uma Escola de Teatro, uma parceria com a Editora Perspectiva, que conta hoje com sete livros lançados e reserva novas edições para o próximo ano.

 

Essas são somente algumas das iniciativas da escola para manter viva a memória do mestre russo. Cada uma delas revela o interesse na troca de conhecimentos sobre as mais recentes pesquisas acerca do Sistema Stanislávski e reafirma o caráter investigativo da pedagogia teatral do Macunaíma, que procura dia a dia fortalecer a formação de seus alunos.

Teatro Escola Macunaíma

Autor