E aí, quer saber mais sobre a relação entre empatia e interpretação e descobrir quais são os benefícios dessa dupla para o bem de uma sociedade igualitária?

As vantagens da empatia e da interpretação

“Imagine todas as pessoas vivendo em paz”. Este trecho faz parte de Imagine, de John Lennon, uma das canções mais famosas de todos os tempos. A letra dessa música fala abertamente sobre a empatia e como ela pode mudar o mundo. Você sabia que a interpretação pode nos ajudar a ser mais empáticos?

A arte de interpretar vai muito além de fingir para o entretenimento de outras pessoas. Esse tipo de prática pode despertar sentimentos em todos os envolvidos — sejam eles atores no palco, sejam espectadores na plateia —, e mudar o modo como essas pessoas pensam.

E aí, quer saber mais sobre a relação entre empatia e interpretação e descobrir quais são os benefícios dessa dupla para o bem de uma sociedade igualitária? Continue a leitura!

O que é empatia?

De modo resumido, a empatia pode ser definida como a capacidade de compartilhar e compreender as emoções e sentimentos de outras pessoas. Ela pode ser sentida de diversas formas por indivíduos diferentes e não há uma receita de bolo para defini-la. No geral, ela pode ser dividida em:

  • empatia afetiva — a capacidade de sentir, em si mesmo, as emoções dos outros. É normalmente exemplificada por pessoas que choram facilmente ao assistir filmes ou peças dramáticas ou se assustam ao ver cenas de terror;
  • empatia cognitiva — se refere à habilidade de compreensão dos sentimentos alheios, mas sem necessariamente senti-los por tabela. É o que ocorre, na maior parte das vezes, com psicólogos e profissionais que lidam com a psique humana.

Algumas pessoas — e até alguns animais, como os ratos e primatas — conseguem ser empáticos dos dois modos. Outros, no entanto, não possuem essa capacidade. Para a maioria das pessoas, esses seriam os chamados psicopatas, que normalmente são grandes mestres da empatia cognitiva. Por isso, não ser empático não é um sinônimo de psicopatia.

Quais são os benefícios da empatia para a sociedade?

Como podemos ver, nem todos os seres humanos são empáticos. Embora algumas pessoas afirmem que essa qualidade é inerente ao ser humano (ou seja, adquirida naturalmente, que faz parte da natureza), nem sempre isso ocorre na prática.

A falta de empatia traz inúmeros prejuízos para a sociedade como um todo. Pessoas que não conseguem se sensibilizar com as dores e perdas de outrem são mais propensas a tomarem decisões egoístas ou prejudicar os outros, mesmo que não o façam deliberadamente. Por conta disso, a empatia é fundamental aos grandes líderes e figuras de poder.

No entanto, não são apenas as pessoas poderosas que precisam ser mais empáticas. Afinal de contas, a sociedade precisa de todos para funcionar em harmonia, ainda mais em uma democracia. Somos nós que escolhemos os nossos governantes e pensar em todos — mesmo naqueles que não compartilham nossas crenças, raças ou esferas sociais —, é importantíssimo na hora de tomar certas decisões.

Como podemos relacionar empatia e interpretação?

Como mencionado no início da nossa conversa, a arte de interpretar pode ser uma ótima aliada no desenvolvimento e amadurecimento da empatia. Ainda que à primeira vista a relação pareça inexistente, é possível correlacionar os conceitos com muita facilidade.

Resumidamente, podemos dizer que a interpretação consiste na incorporação de um personagem. Para fazer uma boa performance, é fundamental que o ator “entre” no indivíduo que interpretará. Para isso, ele passará a agir, pensar e sentir como aquela pessoa, real ou hipotética.

Só com isso, já é possível compreendermos muito bem a relação entre as duas coisas. Ao estudar e construir um determinado personagem, o ator entra definitivamente em contato com suas emoções e passa a observar o mundo por meio de seu olhar, abandonando o seu próprio.

Felizmente, a dramaturgia é riquíssima e nos agracia com os mais variados temas e personagens para trabalhar. São vivências, culturas, experiências e personalidades completamente diferentes. Assim, ao interpretar muitas pessoas, conseguimos abrir o nosso leque de pontos de vista e nos tornamos mais empáticos aos problemas de pessoas diferentes de nós.

Quais são as principais vantagens de estudar a arte de interpretar?

Além do próprio conceito de interpretação, conviver em um ambiente repleto de arte e de pessoas interessadas nela é extremamente benéfico para o exercício da empatia e de outros quesitos. O autoconhecimento, a autoestima, a criatividade e até o senso de democracia também são muito favorecidos nesse meio.

A principal razão para esse amadurecimento pessoal é a diversidade encontrada em ambientes como uma escola de teatro. A arte é uma das linguagens universais e pode tocar e fazer com que pessoas extremamente diferentes se conectem e se comuniquem.

Com isso, ao estudar teatro você está mais suscetível a fazer novas amizades com pessoas que não conheceria fora daquele ambiente. Isso nos permite, também, vivenciar novas experiências e entrar em contato direto com outras culturas e vivências.

Quais são os preceitos básicos do método Stanislavski?

Constantin Stanislavski (1893-1938) foi um pedagogo e ator russo, famoso pela elaboração de um dos métodos de atuação mais famosos nos tempos atuais. Esse sistema, que leva o seu nome, é utilizado por diversas escolas de teatro ao redor do globo.

Para ele, o ofício de ator significava o mesmo que dar vida ao espírito humano. Em outras palavras, esse conceito pode ser definido como a arte de representar situações cotidianas de forma realista, utilizando as emoções reais que todos nós experimentamos diariamente.

O Sistema — comumente chamado de O Método — é também conhecido como a gramática do ator e foge da dinâmica de réplica e mimetismo muitas vezes utilizados no ensino teatral. Para Stanislavski, a improvisação e a criatividade deviam ser pilares da formação cênica.

Ele mesmo era um exímio observador e incentivava que seus alunos observassem uns aos outros e buscassem compreender as razões e emoções de cada um deles, utilizando os elementos percebidos durante as apresentações. Por isso, esse método busca uma atuação mais natural e que faça com que o público se identifique.

Agora que você conhece a relação entre empatia e interpretação, que tal começar a fazer teatro? Dessa forma, você desenvolverá seu senso empático e nos ajudará na caminhada para uma sociedade cada vez mais justa. Quem sabe um dia você se juntará a nós e o mundo poderá ser como um só, não é mesmo?

Se você se interessou pelo mundo teatral e gostaria de saber mais, confira nosso post sobre os 9 livros indispensáveis para os estudantes de teatro. Até a próxima!

Para que a voz de um ator transmita a emoção necessária, é importante ter uma boa entonação. Pensando nisso, trouxemos algumas dicas para que você possa melhorar sua voz.

Next Article

Como melhorar a entonação de sua voz

    Quer aprender a se comunicar melhor? Receba nossas dicas:

    Sem comentários

    Cancelar