All posts by Carmen B.

Em um primeiro momento o teatro foi utilizado pelos padres jesuítas com o intuito de catequização dos índios. Ficou interessado? Veja mais.

Conheça 4 curiosidades da história do teatro no Brasil

A história do teatro no Brasil teve início em meados de 1500, quando os portugueses chegaram às nossas terras e nos tornamos colônia. Em um primeiro momento, essa forma de arte foi utilizada pelos padres jesuítas com o intuito de catequização dos índios.

Isso se deu porque a população indígena já demonstrava grande inclinação para a música e a dança. Sendo assim, os religiosos perceberam o potencial do teatro como uma ferramenta de “civilização” — uma vez que a representação causava muito mais impacto do que um sermão.

No entanto, foi só com a chegada do Romantismo, no século 19, que a prática teatral se desenvolveu no país e grandes nomes começaram a surgir.

Ficou interessado? Então, continue a leitura deste artigo e conheça quatro curiosidades sobre a arte dramática no Brasil!

1. Particularidades do cenário teatral brasileiro

Como se pode perceber pela introdução, a preocupação inicial da prática teatral no Brasil era movida por interesses religiosos e não havia tanto cuidado com o aspecto artístico, mas sim com o pedagógico. As peças eram encenadas em espaços públicos ou em colégios e os atores eram amadores.

No século 17 começaram a surgir peças teatrais que celebravam acontecimentos políticos e algumas festas populares — muitas delas parecidas com o carnaval, pois as pessoas desfilavam com adereços e tocavam instrumentos enquanto dançavam pelas ruas.

Mas foi com a chegada da família real que o país vivenciou um marco no desenvolvimento de seu cenário teatral, no século 19. Isso se deu pelo Decreto de 28 de maio de 1810, assinado por D. João VI, que visava à construção de teatros de qualidade para a nobreza. Porém, as peças encenadas vinham da Europa, principalmente da França, e não traduziam a cultura brasileira.

Em 1880, escravos brasileiros foram libertados na Nigéria e fundaram a Brazilian Dramatic Company, a primeira companhia dramática brasileira. A partir de 1900, o teatro se consagrou e sobreviveu a todas as crises políticas que o país enfrentou, inclusive a ditadura de 1937 a 1945 e o Golpe Militar de 1964.

2. O primeiro teatro do Brasil

Primeiramente, é importante ressaltar que já existiam alguns pequenos teatros espalhados por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Maranhão antes do Decreto de 1810. Dentre eles, podemos citar a Casa da Ópera em Ouro Preto (MG), o Teatro São João em Salvador (BA) e o Teatro União, em São Luís (MA).

Entretanto, o primeiro Grande Teatro brasileiro foi o Real Theatro São João, no Rio, que foi inaugurado em 1813. O edifício sofreu alterações em sua estrutura devido a três incêndios e precisou passar por reformas e até reconstruções. Além disso, mudou de nome algumas vezes — o mais conhecido deles foi Teatro São Pedro. A partir de 1923, passou a ser conhecido por sua alcunha atual: Teatro João Caetano.

Esse teatro é um local muito importante para a história do Brasil, pois foi lá que a primeira Constituição foi assinada. Atualmente, também é conhecido por sua versatilidade, uma vez que recebe peças de gêneros bastante variados. O prédio fica localizado na Praça Tiradentes, no Centro Histórico do Rio de Janeiro.

3. Grandes nomes da história do teatro brasileiro

Agora que você já sabe mais sobre essa arte no país, conheça, a seguir, os principais participantes do cenário teatral ao longo do tempo.

Padre José de Anchieta

Considerado um grande manifestante da cultura medieval no Brasil, José de Anchieta chegou ao país em 1553. Seus autos tinham como objetivo a catequese dos índios e continham características tanto indígenas quanto religiosas. Além disso, sua poesia em verso medieval também merece destaque, bem como a primeira gramática do tupi-guarani — que servia como a cartilha dos nativos.

João Caetano

Nascido no Rio de Janeiro, esse foi um grande ator do século 19 no país e, além de empresário e ensaiador, era autodidata na arte dramática. Seu trabalho é visto como grande referência na reforma do cenário teatral do país e suas ideias estão presentes em seus dois livros: “Reflexões Dramáticas” (1837) e “Lições Dramáticas” (1862).

Em 1860, abriu uma escola de teatro com ensino gratuito e também criou um júri para avaliar e premiar as produções teatrais no país.

Artur Azevedo

Maranhense, Azevedo chegou ao Rio aos 18 anos (em 1873) e foi crítico teatral. Sua carreira nesse ramo começou com a tradução e a adaptação de peças teatrais francesas — foram cerca de 40 comédias que retratavam os costumes da sociedade. Participou da construção do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e tornou-se o nome mais conhecido do cenário dramático nacional daquela época.

Machado de Assis

Você, com certeza, conhece Machado de Assis por seus romances atemporais (como Dom Casmurro e Memórias Póstumas de Brás Cubas), não é mesmo? No entanto, esse grande escritor brasileiro também teve uma importante participação no desenvolvimento da dramaturgia nacional.

Assim como Azevedo, traduziu diversas peças de teatro francesas e foi crítico atuante no Conservatório Dramático. Além de seus livros, deixou poesias, contos, comédias e também algumas peças de teatro.

Quanto a nomes mais atuais, podemos citar Nelson Rodrigues, Dias Gomes, Miguel Falabella e Ivo Bender.

4. As peças teatrais mais icônicas do país

Conheça, agora, as principais obras dramatúrgicas brasileiras, sucesso de público e crítica.

O Juiz de Paz na Roça

É a primeira comédia de costumes brasileiro, tem 23 atos e foi escrita por Martins Pena em 1838 — é considerada uma das melhores obras dramáticas do Brasil, com críticas sociais aos costumes do Rio de Janeiro. Sua primeira encenação nos palcos aconteceu em outubro de 1938.

O Auto da Compadecida

De Ariano Suassuna, foi encenada para primeira vez em 1956, em Pernambuco, e dirigida por João Cândido. Seu sucesso se deu ao misturar de maneira inteligente elementos do barroco católico e da cultura popular, passando pelo cordel e pela comédia. Em 1999 virou filme e é celebrado até hoje.

O Pagador de Promessas

Escrita por Dias Gomes, teve sua estreia em 1960, no Teatro Brasileiro de Comédia, em São Paulo. Seu filme homônimo foi escrito por Anselmo Duarte e lançado em 1962 — o longa levou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, na França.

A Partilha

Esta é a obra mais atual da lista e foi escrita e dirigida por Miguel Falabella em 1991. A comédia dramática ficou 6 anos em cartaz e foi encenada em 12 países, o que levou a uma continuação em 2000: A Vida Passa, também de autoria de Falabella.

Como pudemos perceber, o cenário teatral brasileiro possui uma história muito rica e diversa, com opções que agradam todos os gostos e idades. Apesar da forte influência europeia, principalmente francesa, aos poucos os dramaturgos encontraram sua voz e transformaram o teatro em uma arte bastante democrática.

E aí, curtiu saber mais sobre a história do teatro no Brasil? Então, compartilhe este artigo nas redes sociais e converse sobre o assunto com seus amigos!

Quer saber um pouco mais sobre a importância da saúde vocal em tais ambientes e descobrir como você pode exercitá-la diariamente? Continue a leitura!

Exercícios vocais: conheça técnicas e seus benefícios no dia a dia

A comunicação é parte essencial na vida dos seres vivos. Ela ocorre em todos níveis evolutivos, desde bactérias e plantas até os mamíferos. No entanto, os humanos são os únicos animais que possuem a capacidade de verbalizar seus pensamentos com as palavras, e os exercícios vocais podem ser grandes aliados no amadurecimento desse quesito.

Essa prática é uma ótima maneira de desenvolver a arte da oratória e melhorar consideravelmente os resultados nos âmbitos pessoais e profissionais. Por isso, tais exercícios não são recomendados apenas a atores e cantores, mas a todos que buscam melhores oportunidades.

Quer saber um pouco mais sobre a importância da saúde vocal em tais ambientes e descobrir como você pode exercitá-la diariamente? Continue a leitura!

Por que devemos cuidar da voz?

Assim como o corpo e a mente, a voz também precisa de cuidados específicos. Afinal, a maioria de nós a utiliza como instrumento de trabalho, mesmo que indiretamente.

Ela possui diversas características. As principais são:

  • qualidade — percepção dos pontos positivos de uma voz;
  • emissão — é o modo como o som da voz está sendo emitido para o mundo;
  • expressão — é a forma como o locutor emprega suas palavras e dá sentido a elas por meio da entonação.

Controlar todos esses pontos pode garantir grandes vantagens em nossas vidas pessoais e profissionais. A razão disso é que o modo como usamos a nossa voz pode alterar a percepção dos outros sobre nós e nos ajudar a vender ideias e produtos.

Uma boa articulação vocal e o uso adequado da entonação transmitem segurança, autoridade, confiança e conforto para aqueles que nos escutam. Por isso, se você lida com pessoas diariamente em seu trabalho, a voz é uma ferramenta indispensável.

Quais são os principais exercícios vocais?

Embora aulas de canto, teatro e trabalhos realizados com fonoaudiólogos sejam os melhores caminhos para exercitar a voz, é possível realizar alguns exercícios em sua própria casa.

Respiração

Nossa respiração é controlada pelo diafragma. Esse músculo precisa, como os outros, de exercícios para se manter forte. O modo correto de trabalhá-lo é respirar pelo nariz e expandir o abdômen e não o tórax.

Para isso, deite-se de costas e inspire, contando até dois. Faça isso até não conseguir puxar mais ar e expire lentamente pela boca, contando até quatro. Repita o movimento por alguns minutos e aos poucos dificulte o exercício colocando pequenos pesos sobre a barriga.

Articulação

Trabalhar a articulação confere beleza, clareza e objetividade à voz, melhorando a dicção e emissão dos sons. Para trabalhar essa questão, a repetição de determinadas sílabas é bastante utilizada.

Elas devem ser pronunciadas de forma rápida e ‘’dramática’’, para que a voz e os músculos faciais trabalhem em conjunto. As principais são:

  • mua – mue – mui – muo – muu;
  • la – le – li – lo – lu;
  • bar – dar – lar – mar;
  • cor – dor – mor – for – por;
  • ter – ler – ver – vir.

Repita cada conjunto cerca de cinco vezes, dando intervalos de alguns segundos entre eles. Lembre-se de falá-los com uma só inspiração, para que a respiração também seja exercitada.

Vibração

Os exercícios de vibração são excelentes aquecimentos e ajudam na articulação de diversas palavras. Sua realização é bastante simples e possui poucos passos. Um dos mais populares é a vibração dos lábios, semelhante ao movimento realizado por bebês.

Outro tipo de exercício envolve a pronúncia de sílabas como o ‘’trrrrr’’ e o ‘’brrrr’’. Elas devem ser pronunciadas até a falha, com pausas de 30 segundos. Basta repeti-las três vezes.

Aquecimento

Antes de iniciar qualquer exercício, é essencial fazer um bom aquecimento da voz, evitando lesões. Para isso, as práticas de vibração podem ser feitas e intercaladas com o canto de todas as vogais, com o aumento progressivo das notas. Ele deve ser feito por, pelo menos, cinco minutos, sem forçar.

E aí, gostou de conhecer alguns exercícios vocais? Além deles, é necessária uma atenção especial com a alimentação, ingerir muita água e evitar o cigarro e o álcool. Seguindo esses passos, sua voz estará sempre saudável.

Gostou do artigo? Então, não fique de fora: curta a nossa página no Facebook e confira todos os melhores conteúdos em primeira mão!

Neste artigo, vamos explicar como a socialização tem impacto em sua vida, bem como daremos dicas para que você seja uma pessoa mais sociável. Vamos lá?

Como a participação de grupos sociais aumentam as chances de namorar?

A sociabilidade não é um tipo de dom que alguém recebe por pura sorte — é uma característica que está bastante ligada à sua inteligência emocional. Participar de grupos sociais e conhecer diferentes tipos de pessoas é uma excelente maneira para encontrar alguém interessante e namorar.

A base de nosso desenvolvimento como seres humanos são as relações que desenvolvemos ao longo de nossa vida, sejam elas amorosas, familiares, de amizade ou de trabalho.

Neste artigo, vamos explicar como a socialização tem impacto em sua vida, bem como daremos dicas para que você seja uma pessoa mais sociável. Vamos lá?

A importância da socialização

Primeiramente, quando falamos de inteligência emocional, estamos nos referindo à sua capacidade de conhecer e gerenciar suas emoções. É assim que você amadurece e se torna uma pessoa mais empática e sincera.

A capacidade de ouvir e compreender os outros, bem como a transparência, são as características básicas de uma pessoa que é querida por aqueles com quem convive. E tudo isso pode ser desenvolvido por meio da socialização, pois você terá convívio com diferentes tipos de pessoas, trocará ideias e ampliará sua visão de mundo.

Ao participar de grupos sociais, é possível desenvolver sua capacidade de comunicação — e, consequentemente, melhorar suas relações interpessoais, ampliando suas chances de ter um relacionamento amoroso estável e mais sucesso em sua carreira.

Dicas para ser mais sociável e namorar

Ainda que você seja uma pessoa mais tímida, é totalmente possível se tornar mais solta e segura de suas ações por meio de alguns passos simples, veja só:

Não seja tão crítico

Isso vale tanto para aqueles com quem convive quanto para si. Muitas vezes, por insegurança, tendemos a cobrar demais de nós mesmos, além de pensar demais sobre nossas ações e interações — o que nos leva a criticar os outros.

Portanto, aceite tanto suas qualidades quanto seus defeitos, e faça o mesmo com aqueles que o cercam.

Tenha um hobby

Além de servir como uma excelente válvula de escape das atribulações do dia a dia, um hobby lhe permite desenvolver habilidades que você nem sabe que possui. Sabe aquele curso que sempre quis fazer, mas não tem coragem? Pois então, seu hobby pode estar ali.

A prática teatral, por exemplo, é uma atividade bastante completa nesse quesito — uma vez que conviverá com diferentes tipos de pessoas e trabalhará sua timidez, sua comunicação e sua criatividade no desenvolvimento de uma personagem. É um processo que sempre respeita seus limites e seu próprio tempo.

Aceite mais convites sociais

Evite dar as desculpas que servem para evitar a interação com outras pessoas, a não ser que você tenha um bom motivo para não sair, como se estiver doente ou algo do tipo. Ao aceitar um convite, você tem a oportunidade de conhecer pessoas novas e, quem sabe, alguém especial para ter um relacionamento estável.

É importante ressaltar que ser sociável não significa ser amigo de todo mundo, pois isso é praticamente impossível. Você teria que se esforçar além da conta para agradar a todos e passaria uma imagem de superficialidade, o que resultaria em um efeito contrário do desejado, não é mesmo? Lembre-se de sempre respeitar seus limites e ter paciência com seu próprio processo de evolução.

Agora que você já sabe como a socialização tem um papel importante em sua vida — e como ela pode lhe ajudar a namorar —, assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos de qualidade como esse em seu e-mail!

É importante pensar em formas de extravasar a pressão acumulada, já que o estresse pode afetar a saúde. Veja dicas de como aliviar o estresse!

Procurando como aliviar o estresse? Veja 6 dicas de atividades

Vivemos em um mundo extremamente acelerado e conectado. O fluxo intenso de informações, eventos, notícias e opiniões sobrecarrega a mente humana, exigindo cumprimento de prazos, opiniões sobre fatos e atualização sobre tudo o que está acontecendo. No fim do dia, só resta saber como aliviar o estresse, que é resultado direto de tanta pressão.

É importante pensar em formas de extravasar a pressão acumulada, já que o estresse pode afetar a saúde. Os problemas podem ser físicos, como hipertensão ou úlcera, e até mentais, como o desencadeamento de crises de ansiedade.

Por isso, é bom encontrar um hobby que ajude a aliviar o estresse. Confira seis sugestões!

1. Pratique uma dança

Dançar é ótimo para relaxar e se descontrair. Além de ajudar a tirar a tensão de um dia complicado, essa atividade fortalece os músculos e o preparo físico. Além de ser uma maneira para aliviar o estresse, você enriquece a sua bagagem cultural ao aprender ritmos de vários estilos e culturas.

2. Faça aulas de teatro

Fazer um curso de teatro é perfeito não só para as pessoas extrovertidas, mas para ajudar as tímidas a desenvolverem mecanismos para externar suas emoções, o que também ajuda a descarregar as frustrações. Com as atividades lúdicas em grupo, o teatro ajuda a fazer novos amigos e ainda a finalizar um dia cansado com um sorriso no rosto.

3. Seja voluntário

Muita gente quer saber como aliviar o estresse com um hobby que dê motivação. No trabalho voluntário em uma Organização Não Governamental (ONG), além de se esquecer dos próprios problemas em prol da empatia em relação às outras pessoas, você tem a satisfação de proporcionar alegria para elas e poder fazer a diferença para quem precisa.

4. Desenvolva trabalhos artísticos

A arte é terapêutica e libertadora, o que a torna uma ótima opção de hobby para relaxar. Não precisa ter grande conhecimento técnico para fazer disso uma ferramenta de como aliviar o estresse. Você pode pintar telas pela sensação renovadora das pinceladas ou fazer alguns trabalhos artesanais para desocupar a mente.

5. Aprenda a jardinagem

Uma das formas mais aconselhadas para combater sintomas da ansiedade, a jardinagem é um hobby que, além de tirar o peso do estresse, contribui para uma vida mais saudável. Ter contato com a natureza, acompanhar o crescimento das plantas e flores e até plantar os próprios temperos são atividades que melhoram o humor. Não tem quintal? Dá para fazer uma pequena horta vertical na sua varanda também!

6. Aventure-se na cozinha

Como aliviar o estresse e ainda se divertir com amigos? Prepare um prato especial para eles! Mas, se você gosta de testar novas receitas por si próprio, pode achar esse caminho muito divertido também. Misturar condimentos, criar sabores e inovar nos pratos ajuda a tirar as preocupações da cabeça, além de ser uma atividade deliciosa.

O mundo atual pode estar repleto de situações estressantes, mas a boa notícia é que ele também possui várias formas de relaxar. Existem hobbies dos mais variados tipos e gostos. Escolha uma atividade prazerosa, aproveite o momento e mantenha o seu bem-estar em dia.

Se você não tem ideia de como aliviar o estresse ou ainda não descobriu qual hobby mais combina com você, leia nosso outro post e saiba como encontrar o seu!

Perder a timidez não é uma tarefa impossível. É por isso que vamos indicar agora quatro maneiras de vencer a timidez. Veja mais.

4 técnicas para perder a timidez

Só quem é uma pessoa tímida sabe a dificuldade que é expressar as próprias ideias em público ou até mesmo em relacionamentos. O medo do constrangimento e do julgamento alheio pode fazer com que as interações sociais se tornem um grande sacrifício, o que prejudica a vida profissional e pessoal.

Mas, calma! Perder a timidez não é uma tarefa impossível e pode ser mais libertador do que você pensa. Afinal, a comunicação é o que move o mundo e aprender a desenvolver essa habilidade vai fazer muita diferença. É por isso que vamos indicar agora quatro maneiras de vencer a timidez.

Acompanhe o texto!

1. Não se cobre exageradamente

Normalmente, quem é tímido enxerga os próprios erros como sendo muito maiores do que realmente são. Se você gaguejou durante uma apresentação da faculdade ou não conseguiu encontrar as palavras adequadas em uma entrevista de emprego, isso não é o fim do mundo.

A impressão que dá é que os interlocutores vão criticar você ou rir da sua cara, mas não é bem assim. Geralmente, as pessoas prestam mais atenção em si mesmas antes de olhar os outros. Ou seja, elas também erram em algum momento. Além disso, sempre existem novas oportunidades para começar de novo se você cometeu algum erro.

2. Não tente agradar a todo mundo

É impossível fazer com que todos gostem de você, nem mesmo sendo uma celebridade extremamente carismática. Quem é tímido valoriza demais as opiniões alheias e tenta agradar a todos para conseguir se enturmar. Mas sempre vão existir pessoas com opiniões diferentes sobre você.

Por isso, mesmo que alguém diga algo desagradável, outra pessoa poderá ter uma opinião favorável e assim por diante. Perder a timidez não é tentar se entrosar com todo mundo. Em vez disso, busque a amizade de quem lhe faz bem.

3. Pratique o convívio social

Que tal aumentar o seu círculo de amizades? Matricular-se em algum tipo de atividade é ideal para começar a perder a timidez. Fazer academia, aulas de teatro ou curso de inglês são oportunidades para aprimorar a sua comunicação.

Seja para tirar uma dúvida, apresentar um trabalho em público ou treinar a autoconfiança, é possível sair da zona de conforto aos poucos e começar a engatar conversas. A partir daí, buscar novas experiências vai se tornando cada vez mais fácil e mais oportunidades poderão aparecer na sua vida.

4. Seja mais otimista

Sabe aquele cenário desastroso que você imagina antes de enfrentar um desafio? Não é ruim estar preparado para imprevistos, desde que isso não faça você desistir. Perder a timidez não é enfrentar qualquer situação de maneira intempestiva, mas permitir espaço ao otimismo.

Se você imagina que falar em público pode ser horrível, por que não imaginar também que pode ser maravilhoso e que vai trazer uma sensação incrível de felicidade? Dessa forma, você não achará tão difícil embarcar em novos desafios.

É só por meio da prática que enfrentar a timidez se torna mais fácil. Não é que você precise se tornar uma pessoa extrovertida da noite para o dia, mas desenvolver habilidades sociais é muito útil. Seja em um curso ou para conseguir um emprego, falar em público pode ser necessário em muitas situações.

Gostou das nossas dicas para perder a timidez? Siga a gente no Facebook, Twitter e Instagram para receber mais conteúdos como este!

Como desenvolver a autoestima

Saiba como desenvolver a autoestima em um contexto em que não há igualdade

Apesar de todos os avanços nas questões feministas, o mundo ainda está longe de oferecer igualdade para as mulheres. Nesse contexto, é ainda mais difícil confiar em si mesma — o que é essencial tanto para seu bem-estar físico quanto para a sua saúde mental.

Por isso, neste artigo vamos explorar um pouco mais a desigualdade de gêneros e seus impactos na sua vida, além de darmos dicas para que você trabalhe a sua autoestima. Interessada? Continue a leitura e saiba como se sobressair em meio às adversidades!

O que são os estereótipos de gênero?

Resumidamente, trata-se do conjunto de ideias que criamos em torno de um indivíduo quando o diferenciamos entre os gêneros masculino e feminino.

O grande problema, aqui, está na padronização de comportamentos e na falta de questionamento desses modelos. Afinal, nesses casos não há respeito pelas especificidades da personalidade de cada pessoa.

É como, por exemplo, quando se espera que as mulheres sejam submissas e se interessem apenas por atividades relacionadas a cuidar da casa e da família, transformando tudo em um único padrão aceitável.

Quais são seus impactos na vida das mulheres?

A imposição desses padrões acontece desde a infância, e acaba culminando em uma educação muito limitadora.

Um exemplo pode ser visto em uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Munique, na Alemanha, as boas notas e avaliações das estudantes envolvidas no estudo não foram suficientes para considerá-las como talentosas. Seu sucesso foi ligado ao esforço e à disciplina em vez da inteligência, o que não aconteceu com estudantes homens.

Além da carreira, a desigualdade de gêneros também tem impacto direto na vida social das mulheres.

As que trabalham fora encontram muita dificuldade em conseguir conciliar todas as responsabilidades e seus relacionamentos. Isso acaba gerando muito estresse e frustração — além, é claro, de conflitos de todos os lados.

Como trabalhar a autoestima quando não há igualdade?

Ainda que o contexto seja de desigualdade e que a autoestima seja algo construído desde a infância, há alguns passos que você pode seguir para superar os obstáculos e se tornar uma mulher mais segura de si. Vejamos, a seguir, quais são eles:

Não se compare com os outros

Um dos maiores problemas do estereótipo de gênero é a comparação, principalmente porque a sociedade exige padrões de beleza e comportamentos praticamente inatingíveis.

Portanto, celebre suas conquistas, respeite o seu tempo e use o sucesso alheio apenas como motivação para atingir os seus objetivos, não para diminuí-los.

Não tenha medo de se expor ao novo

Aventurar-se por caminhos desconhecidos é uma excelente maneira de aprender mais sobre si. Você pode aprender uma nova língua ou praticar um esporte radical, e descobrir habilidades que nem sabia que tinha.

Fazer teatro, por exemplo, é um grande passo para se desenvolver pessoalmente. Afinal, as aulas trabalham com a timidez, a expressão corporal e vocal e as suas emoções — tudo de maneira muito natural, e sempre respeitando seus limites.

Envolva-se com grupos de apoio à igualdade de gêneros

Normalmente, esse tipo de grupo promove discussões e busca por soluções em conjunto para uma sociedade mais justa. Por isso, esse passo é ótimo para abrir os seus horizontes e conhecer pessoas que passam pelas mesmas dificuldades que você.

Enfim, sabemos que qualquer mudança sempre exige muito de nós, portanto, lembre-se de ser gentil consigo e ter bastante paciência: você não está sozinha nessa! O caminho para a igualdade é mesmo longo e tortuoso, mas pode ser vencido com mais facilidade se você estiver mais centrada e confiante em suas escolhas.

E agora, se gostou deste post, aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de mais conteúdos para continuar seu crescimento tanto pessoal quanto profissional!

Abordaremos diversos aspectos da comunicação, explicando seus conceitos e sobre como o teatro tem papel importante no desenvolvimento dessa aptidão.

Utilização da comunicação para adquirir oportunidades profissionais

A comunicação é, sem sombra de dúvidas, um dos principais pilares da história da humanidade e da construção de nossa sociedade. De certo modo, é possível afirmar que chegamos ao ponto em que nos encontramos atualmente graças à capacidade humana de comunicar-se. É aí que entra a importância da oratória.

Essa capacidade (também considerada uma forma de arte) vem sendo estudada desde os primórdios, em civilizações como Roma e Grécia antigas. Sua importância abrange diversos campos, desde os âmbitos pessoais como os profissionais e acadêmicos.

No artigo de hoje nós abordaremos diversos aspectos da capacidade de falar em público, explicando melhor os seus conceitos e falando um pouco mais sobre como o teatro, além de auxiliar no desenvolvimento de diversas habilidades, tem papel importante no desenvolvimento dessa aptidão.

Boa leitura!

O que é oratória?

Ela é descrita como a capacidade de falar em público de forma adequada, envolvendo diversas técnicas e regras que têm como principal objetivo captar a atenção dos espectadores, cativando-os e passando a mensagem pretendida de maneira completa.

As habilidades linguísticas estão divididas em escrita, leitura, audição e fala. Todos esses mecanismos, em união, são os responsáveis pela nossa capacidade de comunicação com outros seres humanos. Esse campo, no entanto, é o responsável pelo estudo das habilidades de fala em público.

Nos dias atuais, com a diminuição do contato pessoal e o aumento das interações virtuais, as capacidades de oratória de maioria da população vêm diminuindo cada vez mais.

Em um sentido mais amplo, a oratória está intimamente ligada à retórica. Esta é tida como a argumentação utilizada para persuadir aquele com quem estamos falando, seja por meio de palavras, gestos ou imagens. Um bom orador é capaz de utilizar tais conceitos ao se dirigir a um público, fazendo com que ele acredite no que é dito.

No entanto, ter uma boa oratória vai muito além de simplesmente falar bem. A arte de comunicar-se em público envolve outros aspectos importantes, como:

  • apresentação pessoal;
  • postura;
  • dicção;
  • argumentação;
  • confiança.

Por conta disso, o desenvolvimento de todos esses atributos é crucial para aqueles que querem ser bons oradores.

Qual a importância de ter boa oratória?

Embora isso faça parte do senso comum, se engana quem acredita que apenas indivíduos que trabalham com a comunicação podem se beneficiar com o estudo da oratória.

Como vimos anteriormente, a comunicação envolve outros quesitos além da capacidade de falar bem. No entanto, todos os melhores comunicadores que já passaram pela história da humanidade eram excelentes oradores.

Afinal, a capacidade de juntar palavras de forma eficiente e transmitir opiniões, sentimentos e ideias por meio delas é uma grande vantagem. Entre os grandes mestres da oratória, podemos citar personalidades como:

  • Alexandre, o Grande;
  • Winston Churchill;
  • Adolf Hitler;
  • Martin Luther King;
  • Mahatma Gandhi;
  • Steve Jobs;
  • Nelson Mandela.

Como podemos perceber, essas pessoas mudaram o mundo de alguma forma (algumas, infelizmente, utilizaram o seu talento para atividades nada benéficas). Seus discursos ainda fazem história atualmente, dezenas ou centenas de anos após as palavras serem ditas. Assim, fica bem claro o poder da oratória.

Falar bem, com clareza, objetividade e confiança é uma incrível ferramenta de persuasão e transmissão de informação. Um bom orador pode ser uma incrível adição a qualquer empresa, em absolutamente qualquer segmento.

No âmbito profissional, a capacidade de falar em público é uma habilidade vital para ter e aprimorar. Ela possibilita interações simples e cotidianas entre colegas de trabalho, chefes e funcionários, além de impactar positivamente o relacionamento e a experiência da empresa com os seus clientes.

Por conta disso, os empregadores buscam por funcionários que possuam a capacidade de se comunicar de forma eficiente. Infelizmente, algumas pessoas sofrem com um medo patológico de falar em público, o que pode causar prejuízos em diversos campos das vidas de tais indivíduos.

O que é o medo de falar em público?

Apesar da importância histórica da comunicação, poucas pessoas podem dizer que se sentem naturalmente confortáveis ao falar para públicos — sejam eles grandes ou pequenos. Esse é, na verdade, um medo bastante comum. Tão comum que possui até mesmo um termo médico para defini-lo: glossofobia.

Para o glossofóbico, enfrentar uma plateia pode ser o pior de todos os pesadelos. Os principais sintomas envolvem sinais físicos e psicológicos, que incluem:

  • suor excessivo (em todo o corpo, mas, principalmente, nas palmas das mãos);
  • tremores e sensação de pernas bambas;
  • rigidez ou dores musculares (especialmente nos ombros e pescoço);
  • secura na boca;
  • palpitações e aceleração cardíaca;
  • visão escurecida;
  • queda ou aumento da pressão arterial;
  • dores e desconfortos estomacais;
  • alterações na voz e na fala, como fraqueza, tremor ou gagueira;
  • dores de cabeça;
  • náuseas, enjoos e até mesmo vômitos;
  • ataques de pânico.

As causas para esse problema são desconhecidas, mas pesquisadores e especialistas em psicologia estimam que ele pode estar ligado a eventos traumáticos ou a outras questões emocionais, como baixa autoestima ou falta de confiança. O tratamento inclui a execução de terapias comportamentais e, às vezes, o uso de medicações de suporte.

Vale a pena salientar que apresentar alguns dos sintomas citados não quer dizer, de forma alguma, que você é glossofóbico. Na verdade, a maioria dos oradores (mesmo os mais experientes) afirma sentir um certo desconforto antes de uma apresentação em público.

Afinal, quem nunca sentiu um friozinho na barriga antes de apresentar um trabalho escolar, não é mesmo? O problema normalmente é definido pelo aparecimento frequente dos sintomas, além de levar outros fatores em consideração, como a ocorrência de incapacitação (quando não conseguimos efetuar tarefas simples devido ao medo).

Por conta disso, o diagnóstico deve ser feito por um profissional qualificado, que indicará o melhor tratamento de acordo com cada caso.

Como a oratória pode ser desenvolvida?

Como mencionado, nem sempre o medo de falar em público pode ser descrito como uma fobia e, portanto, o tratamento médico especializado não é necessário na maioria das vezes.

Isso não quer dizer, é claro, que devemos deixar o desconforto de falar para várias pessoas ‘’por isso mesmo’’, já que, além de prejudicar diversas relações em nossas vidas, esse receio pode nos fazer perder importantes oportunidades profissionais.

Felizmente, existem formas simples de melhorar nossa capacidade de oratória no dia a dia, com pequenas mudanças que fazem toda a diferença. Confira algumas dicas a seguir:

Prepare-se muito bem

Embora não garanta 100% de sucesso, a preparação é uma das chaves para que qualquer apresentação saia de acordo com o planejado. Por isso, separe um tempo considerável para deixar tudo pronto antes do grande momento.

Não tenha vergonha de praticar em voz alta em frente a um espelho ou de gravar a si mesmo e assistir em seguida. Outra dica importante é obter inspiração de várias fontes antes de começar os preparativos.

Veja discursos de grandes oradores, assista às suas palestras e leia as transcrições de suas palavras. Sentir-se preparado e inspirado ajudará você a mandar o nervosismo e a ansiedade para bem longe.

Destaque os seus pontos fortes

Além de trabalhar a confiança, para ser um bom orador é importante trabalhar também a autoestima. Aprender a reconhecer os pontos fortes (e, é claro, as fraquezas) é essencial para saber exatamente o que destacar no momento das falas em público.

O autoconhecimento também é uma ferramenta essencial, pois permite que o locutor não cometa o erro grave de tentar ser o que não é. Lembre-se de acreditar fortemente em suas opiniões e passar toda essa força para o público, que acreditará no que você tem a dizer.

Coloque-se no lugar de seu público

Ter empatia é fundamental para todos os seres humanos, certo? No entanto, essa qualidade se torna um diferencial ainda maior para os que buscam melhorar sua oratória. A capacidade de colocar-se no lugar do próximo pode, sem dúvidas, deixar você muito a frente quando se trata de agradar o seu público.

Ao ser empático, você consegue mensurar exatamente o que as pessoas querem ouvir e pode direcionar a mensagem para aquele grupo específico de indivíduos. Escolher a linguagem certa e falar exatamente sobre os temas que o público quer saber passará muito mais credibilidade aos espectadores.

Cuide de sua aparência

Trabalhar a autoestima significa, indiretamente, cuidar da sua aparência. Afinal, ela é o modo como você se apresenta para o seu público. Para os espectadores, um locutor apresentável transmite credibilidade e demonstra respeito por aqueles que estão escutando. Lembre-se de que a primeira impressão é aquela que fica.

Além disso, tente manter sempre um sorriso em seu rosto. Certos sentimentos são contagiantes e um público que lida com um palestrante feliz e confiante certamente se sentirá da mesma forma, fazendo de sua fala um grande sucesso.

Aprenda a ouvir

Um bom falante deve, primeiramente, ser um bom ouvinte. Por incrível que pareça, a maioria esmagadora das pessoas tem dificuldades em compreender o que o próximo está tentando dizer. Um dos maiores erros cometidos pelos aspirantes a oradores é não questionar o público, dirigindo questões diretamente a ele.

Preparar falas interativas, que contem com a participação dos espectadores, é um ótimo meio de melhorar a sua oratória e trazer mais confiança. A interação com o público também garantirá uma maior compreensão de tudo aquilo que você está tentando passar, além de fazer com que as pessoas se sintam mais próximas.

Aprenda a lidar com todos os tipos de feedback

Todos nós sabemos como receber elogios pode ser incrível. Ter seu trabalho duro reconhecido é uma ótima sensação, capaz de melhorar o dia de qualquer mortal. Infelizmente, é impossível agradar a gregos e troianos e todos precisaremos lidar com feedbacks negativos de vez em quando.

Por isso, é importante tentar não se cobrar excessivamente quando o público não estiver tão receptivo. O nervosismo, além de não resolver o problema, pode causar ainda mais prejuízos. Mantenha-se firme até o final e avalie todas as questões posteriormente para não cometer os mesmos erros em sua próxima apresentação.

Além de todas essas opções, podemos citar o teatro como uma atividade de grande importância no desenvolvimento da oratória, mesmo para os que não buscam uma carreira na área. As aulas, nesse caso, podem ser até mesmo indicadas como um tratamento adicional à glossofobia.

Como o teatro ajuda no desenvolvimento da oratória?

Como conversamos no tópico anterior, o teatro pode ser um grande aliado na luta contra o medo de falar em público — além de auxiliar aqueles que já se sentem confortáveis com essa situação e buscam melhorar ainda mais suas capacidades e destacar-se em diversos ambientes.

Além de proporcionar diversos aprendizados ligados ao âmbito teatral e possibilitar a criação de novos laços de amizade, as artes cênicas são responsáveis pelo desenvolvimento de diversas habilidades importantes. Entre elas, podemos citar a oratória.

Embora a maioria das pessoas acredite que essa capacidade seja trabalhada diretamente durante as aulas, isso nem sempre é verdade. Existem, é claro, exercícios específicos para esse fim — afinal, falar bem é um requisito crucial para ser um bom ator ou atriz, não é mesmo?

No entanto, fazer aulas de teatro também auxilia oradores em potencial de forma indireta, trabalhando pontos interligados à arte da comunicação. Entre eles, podemos citar:

  • dicção;
  • postura;
  • consciência e controle corporais;
  • autoconhecimento;
  • confiança;
  • autoestima;
  • criatividade;
  • liderança;
  • presença de palco;
  • trabalho em grupo;
  • empatia;
  • argumentação.

Por se tratar de uma arte humana, inclusiva e poderosa, o teatro abrange os âmbitos físicos e psicológicos daqueles que o estudam. Os alunos que optam por essas aulas são agraciados com conhecimentos gerais, que auxiliam em diversas áreas de sua vida e melhoram as chances de conseguirem boas oportunidades de emprego.

Agora sabemos como o teatro ajuda na vida pessoal e a importância do desenvolvimento de uma boa oratória, fundamental para a melhoria de relações pessoais — além de servir como um incrível diferencial que potencializa as chances de você conseguir uma ótima oportunidade profissional.

Dê uma chance e veja por si mesmo todos os benefícios dessas aulas! Em caso de dúvidas ou sugestões, não hesite em entrar em contato com a gente! Nossa equipe está sempre à disposição para responder qualquer pergunta e atendê-lo da melhor forma possível.

Até a próxima!

Quer descobrir como aproveitar melhor seu dia abrindo mão da rotina?

Você sabe porque é tão importante sair da rotina?

Ter um planejamento para seu dia a dia é essencial para sua produtividade e para obter bons resultados. Porém, sair da rotina também é importante. Isso porque, aos poucos, vamos nos acostumando a um certo ritmo e acabamos acomodados.

Portanto, não é incomum que, com o tempo, você passe a se sentir desmotivado e não busque novos aprendizados — o que prejudica não só sua vida pessoal, como também sua carreira.

Quer descobrir como aproveitar melhor seu dia abrindo mão da rotina? Então é só continuar a leitura deste artigo e descobrir nossas 5 dicas básicas!

1. Resgate um passatempo

Sabe aquela atividade que você costumava fazer puramente por prazer — fosse ela pintar, realizar um trabalho artesanal ou dançar? Pois então, reserve pelo menos uma hora por semana para resgatá-la. A rotina, somada às tarefas que parecem intermináveis, acabam fazendo com que você esqueça de se divertir.

Passatempos são ótimas maneiras de se reconectar consigo e trabalhar sua criatividade, o que ajudará bastante a encontrar soluções para seus problemas e a ter um dia a dia mais produtivo.

2. Busque novos interesses

Sair da rotina significa também sair da sua zona de conforto: para continuar evoluindo, é necessário encontrar novos caminhos. Portanto, procure aprender algo desconhecido — um esporte que sempre lhe instigou, uma língua diferente ou fazer teatro.

Você pode até pegar um caminho diferente para o trabalho, pois assim terá a oportunidade de conhecer lugares interessantes que pareciam estar escondidos. Buscar pelo novo ensina a pensar fora da caixa, o que amplia seus horizontes e traz mais conhecimento.

3. Passe um dia sem planejar nada com antecedência

Existem muitas pessoas que não conseguem viver sem ter tudo planejado, mas acredite, ter um dia sem planos ajuda bastante a lidar com o inesperado. A flexibilidade é uma característica bastante importante para lidar melhor com os obstáculos que aparecem no dia a dia.

Separe um dia na semana para ser livre e trabalhar com a improvisação — ela também é uma excelente ferramenta para sua criatividade. Dessa maneira, quando você for pego desprevenido, conseguirá encontrar uma solução mais efetiva para não se perder no meio do caminho.

4. Mude de atitude

Para sair da rotina, é necessário conseguir quebrar hábitos, principalmente aqueles que lhe prejudicam. Por isso, tente se desconectar um pouco de e-mails e celular, procure não procrastinar e tenha uma boa atitude perante as pessoas de seu convívio. Assim, você poderá melhorar seus relacionamentos interpessoais e ter uma vida profissional mais rica.

Desligar-se é necessário para conseguir um novo fôlego, enfrentar os desafios cotidianos com mais segurança e até organizar melhor seu dia.

5. Converse com pessoas novas

Nada melhor do que conhecer pessoas e fazer novas amizades para ter acesso a diferentes perspectivas sobre a vida, não é mesmo? Trocar experiências com aqueles que você não conhece tão bem é um excelente exercício de confiança e empatia — aprender a respeitar as diferenças e aceitá-las é essencial para sua evolução.

E então, percebeu a importância de sair da rotina? Nossas dicas são passos simples e fazem toda a diferença em seu dia a dia. Só assim é possível trabalhar sua criatividade, enxergar novas oportunidades e desafiar-se para ter um aprendizado mais completo e duradouro.

Você tem mais alguma dica que já tenha tentado e deu certo? Quer nos dar alguma sugestão ou tirar uma dúvida? É só deixar seu comentário aqui!

Sabe qual é a melhor forma de estimular a sua criatividade? Aulas de teatro!

Veja como o teatro ajuda a estimular a criatividade

A criatividade deve estar presente no seu dia a dia, tanto no âmbito pessoal quanto profissional. Diferentemente do que muitos pensam, esse não é um atributo exclusivo de artistas ou pessoas que trabalham com comunicação e criação. Com as ferramentas certas, você vai conseguir estimular criatividade para aplicá-la em todas as áreas de sua vida.

Será possível criar soluções dentro de um impasse, por exemplo, ou para apontar novos caminhos e saídas para situações que parecem sem solução. Ou até mesmo para situações corriqueiras do dia-a-dia, para assim, tornar mais simples o desenrolar da vida.

A criatividade existe para estes momentos, dando a você as ferramentas necessárias para enxergar além do óbvio. E você sabe qual é a melhor forma de estimular a sua criatividade? Aulas de teatro! Isso mesmo, não precisa ser ator para aproveitar essa arte. Quer saber mais? Então este post é para você!

Entenda o que é criatividade

A criatividade é uma das principais características dos artistas e criadores, ela é também um predicado para todos aqueles que querem inovar, sair da zona de conforto e enxergar possibilidades além do comum.

A criatividade, pode ser descrita de uma forma simples e resumida, como a capacidade de criar.

Portanto, ela é uma qualidade: aqueles que conseguem desenvolver novas ideias e conceitos, e produzir resultado a partir disso, são tidos como mais habilidosos e consequentemente mais valorizados.

Isso vale para qualquer circunstância. E também está ligada às outras vantagens, já que pessoas criativas costumam ser mais tolerantes, maleáveis, aceitam melhor o novo e se preparam para novidades de forma mais favorável.

Diferentemente do que muitos pensam, a criatividade não é algo inato, ou seja, não nasce com as pessoas. É, sim, algo a ser desenvolvido, trabalhado e estimulado ao longo da vida.

E como fazer isso? Não há regra preestabelecida, nem caminho das pedras que possa ser seguido para ser uma pessoa mais criativa. É algo a ser trabalhado, de pouquinho em pouquinho, ao longo da vida de maneira muito prazerosa.

Isso porque a criatividade está ligada aos estímulos de qualquer natureza, que você acumula ao longo da vida. Neste artigo, vamos focar em um estímulo específico, aquele que é proporcionado pelo teatro, para exercitar a sua criatividade. Mas não esqueça: são muitas possibilidades

Certo, mas o que o teatro tem a ver com isso? Com o passar dos tempos, o teatro vem retratando a vida humana por meio de encenações.

É uma arte milenar, e uma linguagem que se vale do corpo, da voz e da personalidade dos atores para dar vida aos personagens.

Aqui, você já deve ter entendido: o teatro estimula muito a criatividade porque coloca o ator no constante papel de criar.

Mas esse é só o resumo de todas as qualidades que o teatro traz para você. Agora, você vai ler os motivos pelos quais o teatro ajuda a estimular a sua criatividade.

Saiba como o teatro ajuda a estimular a criatividade

Estimula a improvisação

Quando as luzes se apagam, é impossível saber o que vai acontecer. Diante de uma plateia, o ator precisa entrar em ação e “segurar” a peça, não importa o que aconteça. Muitas vezes, algum imprevisto acontece, e neste momento, sempre os atores conseguem resolver a situação com criatividade. Isto é criam algo novo que não estava no script.

O ator de teatro exercita diversas habilidades, de jogos lúdicos á improvisação. Para se sair bem nas situações inesperadas, aula de teatro, é com certeza uma das melhores formas de exercitar esta desejada habilidade.

Pratica a desinibição vocal e corporal

Expressar-se corretamente e de forma clara, além de se posicionar bem e aproveitar o espaço pode ser complicado, especialmente para quem é mais tímido. E como exercitar isso? A resposta é: fazendo teatro.

O exercício do teatro envolve o corpo e a voz de forma intensa. No esforço de dar vida aos exercício de vivencia, o ator precisa se colocar de corpo e alma, literalmente. É um exercício de expressão completo!

Melhora a concentração

Você precisa estar concentrado para lembrar das falas, prestar atenção no ator com quem contracena, lembrar das marcações de tempo, espaço e luz, enfim, portar-se dentro do palco em cena.

Se manter-se focado é um problema para você? Saiba que estudando e praticando o teatro você vai poder melhorar esse aspecto. Com o teatro isto tudo se torna orgânico e fácil como um piscar de olhos.

Aguça a memória

É semelhante ao que falamos acima: além de foco e concentração, você precisa exercitar a mente e a memória para armazenar tudo aquilo que precisa fazer em cena. Há peças complexas, de textos extensos e muitos clímax.

Promove a sua desinibição

A timidez age contra a criatividade, pois se você se sente intimidado diante de novas situações, pode se bloquear e emperrar sua capacidade de criação e improviso.

Já no teatro a inibição é trabalhada de maneira fácil. Os atores precisam levar as situações de maneiras diversas o que contribui para o exercício da desinibição.

Praticar o teatro vai ajudar você a perder a timidez de falar e se expressar corporalmente. A consequência disso é uma atitude mais espontânea e um fluxo de criatividade mais livre.

Aumenta o seu repertório cultural

Essa é a parte mais divertida: estudar teatro vai colocar você em contato com as obras dos maiores gênios da cultura mundial. Dramaturgos, escritores, diretores, músicos e atores que produziram o que de melhor temos em termos de arte.

Conhecer, ler, ouvir, trocar ideia e produzir são as melhores formas de exercitar a criatividade. Referências culturais são fonte de inspiração constante.

A trajetória dos artistas mais consagrados vai inspirar você. As suas obras vão encher a sua vida de novas ideias e significados. E isso tudo vai fazer de você uma pessoa muito mais criativa, capaz de criar e melhorar seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Porque o teatro, afinal de contas, é uma arte democrática: vale para todos, sem restrição de idade ou gênero. Nada melhor do que isso para estimular criatividade e colocar um pouco de arte no seu dia a dia, não é mesmo?

Ainda tem dúvidas se o teatro é o melhor para você? Então leia este post e descubra quais são as pessoas que podem fazer teatro. Com certeza você vai sair ainda mais inspirado dessa leitura.

Como se desligar um pouco do estresse e levar a vida de forma mais leve e saudávell.

Como aliviar o estresse? 4 dicas para viver mais tranquilo

Batimentos cardíacos acelerados, insônia e uma ligeira sensação de mal-estar são sintomas que estão diretamente ligados à sobrecarga de tarefas e ao esgotamento emocional. Na correria do dia a dia, nem sempre é fácil saber como aliviar o estresse.

Quando sofremos com esse esgotamento, nosso corpo libera mais cortisol, o que inibe a produção de serotonina — hormônio responsável pela sensação de bem-estar.

Neste artigo, separamos 4 dicas básicas que podem ajudar você a se desligar um pouco das pressões diárias e a levar a vida de forma mais leve e saudável. Vamos lá?

1. Faça exercícios físicos

Essa é a recomendação mais ouvida, não é mesmo? A razão para isso está relacionada ao fato de que quando você sobrecarrega o seu corpo e os seus músculos, o estresse mental é aliviado.

Nesse momento, as endorfinas — substâncias que agem como analgésicos naturais e ajudam a melhorar o humor — também são liberadas.

Ao incluir uma atividade física em sua rotina, todos os benefícios serão rapidamente sentidos, inclusive a melhora considerável na qualidade do seu sono. Dessa maneira, você passará a dormir bem melhor e terá mais disposição para cumprir tarefas tanto em casa quanto no trabalho.

2. Pratique meditação

Acredite, meditar não é uma tarefa tão difícil quanto dizem ser — e, muito menos, significa não pensar em nada, até porque isso é para quem já pratica estágios bem avançados. O prática da meditação consiste em você sentar por alguns minutos por dia e apenas observar os seus pensamentos, sem fazer julgamentos ou analisá-los.

Um grande diferencial dessa prática é que ela não só libera o estresse acumulado, mas também previne o estresse futuro. Meditar lhe ajuda a lidar melhor com as suas emoções, bem como a controlá-las, ou seja, ganha-se mais estabilidade e maturidade emocional.

Somado a isso, você exercita a expansão da sua consciência. Uma sincronização maior entre os seus pensamentos e acontecimentos do cotidiano – as chamadas “coincidências” passam a acontecer com mais frequência. Assim, será mais fácil encontrar soluções para os seus problemas e agir com mais criatividade em sua rotina.

3. Ouça músicas que lhe fazem bem

Apesar de ser uma dica óbvia, a música é algo que vai muito além do entretenimento por si só. Esse hobby auxilia no relaxamento — o que facilita a diminuição de dores pelo corpo causadas pela tensão — e estimula a memória, trazendo benefícios tanto para sua saúde física quanto mental.

A música também pode auxiliar na concentração e é uma ótima maneira de embalar os exercícios físicos, tornando-os mais fáceis e prazerosos, já que desviará sua atenção da dor, da fadiga e do cansaço.

Quando estiver mais irritado, procure ouvir canções mais calmas, como as instrumentais, para evitar que fique ainda mais agitado.

4. Desconecte-se

Esse é um ponto essencial entre todas as recomendações sobre como aliviar o estresse. Com o avanço da tecnologia, muitas vezes fica difícil colocar o celular de lado, não responder e-mails, além da tentação de estar disponível a qualquer momento ser ainda maior.

O ideal é utilizar a internet somente para o que for necessário, já que a longa exposição ao excesso de informações e a sobrecarga de trabalho estão diretamente ligadas ao estresse. Por isso, desligue os dispositivos eletrônicos, pelo menos, uma hora antes de se deitar e tenha um sono tranquilo.

Um grande benefício de se desconectar um pouco mais é poder aproveitar melhor o seu dia e as pessoas de seu convívio. O contato pessoal também é um fator que alivia bastante as pressões cotidianas, além de ser muito importante para a sua evolução, já que aprendemos, o tempo todo, com o próximo. Você também pode pensar em alternativas, como o teatro, que lhe proporcionem prazer e estimulem a sua criatividade.

E então, curtiu as dicas de como aliviar o estresse? Aproveite para acompanhar o nosso conteúdo também no Facebook!