Continue a leitura e saiba mais sobre como funciona a memória e qual a sua importância. E mais: descubra como o teatro pode ajudá-lo com isso!

O teatro é capaz de ajudar a desenvolver a memória?

Você consegue se lembrar exatamente qual foi a sua última refeição? Se a resposta for negativa, não entre em desespero: problemas com a memória são relativamente comuns na população e, felizmente, é possível resolvê-los com a ajuda do teatro.

Vários fatores podem comprometer a capacidade de memorização. Isso tem se tornado ainda mais comum nos dias atuais, em que estamos constantemente conectados e nos tornamos um tanto preguiçosos graças à facilidade de conseguir informações com poucos cliques.

No entanto, atuar nessas dificuldades é fundamental para fins sociais, profissionais e acadêmicos. Uma boa memória é capaz de melhorar o desempenho em todas as áreas da vida, além de ser imprescindível para a realização de diversas tarefas cotidianas.

Continue a leitura e saiba mais sobre como funciona a memorização e qual a sua importância. E mais: descubra como o teatro pode ajudá-lo com isso! Boa leitura!

Afinal, o que é a memória?

Chamamos de memória a capacidade de armazenar e relembrar experiências e sensações que já vivemos, além de outras informações previamente vistas, ouvidas ou lidas por nós em algum momento de nossas vidas.

Ela está, de certo modo, ligada ao aprendizado e a outras capacidades cognitivas — o grupo de habilidades que engloba capacidades como o raciocínio, a concentração e o foco.

Como ela funciona?

Antes de mais nada, para entender como ocorre o processo de memorização é necessário saber quais são as suas divisões. As principais categorias da memória são:

  • memória sensorial (visão, audição, tato, olfato e paladar);
  • memória de curto prazo;
  • memória de longo prazo.

O processo de memorização se inicia na memória sensorial. Lá, um estímulo é recebido por meio de um (ou mais) dos sentidos e processado pelo cérebro. Em seguida, a informação é retida na forma de memória de curto prazo.

Esse tipo de memorização (que ficou bastante famoso graças à personagem Dory, de “Procurando Nemo”) não dura muito, como o próprio nome diz. Estima-se que cada pessoa consiga reter pelo menos sete informações em um período de trinta segundos e que elas são, em seguida, esquecidas ou catalogadas em alguma das várias ‘’pastas” da memória de longo prazo.

Essa é dividida em vários subtipos, como a semântica, a processual ou a episódica. Cada uma delas faz parte de uma categorização diferente. A processual, por exemplo, diz respeito à habilidade de lembrar do modo certo de fazer atividades corriqueiras, como andar de bicicleta ou jogar videogame.

Outro atributo interessante é que muitas lembranças são acessadas graças a outros estímulos. Quem nunca se lembrou de um episódio da infância após sentir um cheiro bastante característico daquela época ou se lembrou de alguém especial ao ouvir uma música há tempos esquecida?

Tudo isso é possível graças à ação dos neurônios, as células nervosas que habitam o cérebro humano. A cada estímulo recebido, elas são ativadas e se comunicam por meio de conexões específicas (as sinapses) e neurotransmissores, substâncias químicas que auxiliam as reações físicas.

Qual é a importância do desenvolvimento da memória?

O que seria de nós sem a capacidade de armazenar e reviver nossas lembranças? É a partir disso que moldamos nossa personalidade, evoluímos e aprendemos um pouco mais todos os dias. Todo o conteúdo de nossa memória é nada mais do que a história de nossas vidas.

A capacidade de aprender novas coisas e mantê-las guardadas no cérebro é o que constrói todos os nossos relacionamentos e nos empurra sempre para a frente, possibilitando novas oportunidades e experiências.

Atualmente, vivemos na era da informação e temos dados atuais e antigos sempre à mão, o que faz que a memória seja pouco exercitada. Por isso, ter uma boa capacidade de memorização é um grande diferencial nos ambientes acadêmico e profissional: um ótimo meio de obter bons resultados e melhorar o desempenho.

Além disso, ela é essencial para o fortalecimento de nossas relações pessoais. Afinal de contas, muitas das situações e problemas cotidianos são resolvidas com maior facilidade quando temos melhor memória sobre os fatos, isto nos remete a uma maior clareza e entendimento, não é mesmo?

Como o teatro pode ajudar a exercitar a memória?

Se você costuma acompanhar nossos conteúdos, já sabe o quão incrível é o exercício teatral. Ela ajuda a desenvolver diversas habilidades e contribui para o amadurecimento emocional dos alunos, já que é uma fonte interminável de conhecimentos e experiências únicas. Algumas das capacidades desenvolvidas nessa atividade são:

Felizmente, as aulas também auxiliam no fortalecimento da ativação da memória. Durante o curso, são abordados diversos exercícios com foco no desenvolvimento do cérebro. Apesar de existirem muitas técnicas de memorização de textos, o conteúdo das aulas vai muito além disso. Até porque a memorização de um texto numa aula de teatro acontece de maneira natural sem a necessidade da famosa “decoreba de texto”.

A conexão entre os sentidos — e todas as sensações experimentadas durante a prática do teatro — e os neurônios ajuda a, pouco a pouco, fortalecer os fatores da ativação da memória. Além disso, estudos demonstram uma ligação entre a movimentação corporal e a memorização.

Outro lado positivo das aulas é que elas são inclusivas e reúnem vários tipos de pessoas. Existem diferentes formas de aprendizado, como a linguística, a espacial, a corporal e a musical. Isso quer dizer que pessoas diferentes absorvem o aprendizado de maneiras bem diversas, e que o que é eficaz para um pode não funcionar para os outros.

Por isso, o teatro é capaz de estimular pessoas com cérebros e personalidades diferentes a aprenderem de acordo com a sua individualidade. Dessa forma, é possível que todos exercitem a memória da forma que funcionar melhor para cada um.

Por fim, estimular o potencial criativo é um dos melhores meios de exercitar a capacidade de armazenar informações e fazer bom uso dela. Abrir a mente para as possibilidades da imaginação auxilia na associação de dados e traz benefícios para o cérebro.

E aí, está pronto para melhorar sua memória com a ajuda do teatro? Expanda seus horizontes e aprimore seu desempenho em várias áreas de sua vida contando com o auxílio da arte!

Fique por dentro de todas as nossas novidades! Curta nossa página no Facebook e receba os conteúdos em seu feed com apenas um clique. Até a próxima!

Mas o que é, afinal, a autoestima? De onde ela vem, qual a sua importância e como a ausência dela pode impactar negativamente nossas vidas?

Next Article

Como o teatro ajuda a melhorar a autoestima?

    Quer aprender a se comunicar melhor? Receba nossas dicas:

    Sem comentários

    Cancelar