Como desenvolver a autoestima

Saiba como desenvolver a autoestima em um contexto em que não há igualdade

Apesar de todos os avanços nas questões feministas, o mundo ainda está longe de oferecer igualdade para as mulheres. Nesse contexto, é ainda mais difícil confiar em si mesma — o que é essencial tanto para seu bem-estar físico quanto para a sua saúde mental.

Por isso, neste artigo vamos explorar um pouco mais a desigualdade de gêneros e seus impactos na sua vida, além de darmos dicas para que você trabalhe a sua autoestima. Interessada? Continue a leitura e saiba como se sobressair em meio às adversidades!

O que são os estereótipos de gênero?

Resumidamente, trata-se do conjunto de ideias que criamos em torno de um indivíduo quando o diferenciamos entre os gêneros masculino e feminino.

O grande problema, aqui, está na padronização de comportamentos e na falta de questionamento desses modelos. Afinal, nesses casos não há respeito pelas especificidades da personalidade de cada pessoa.

É como, por exemplo, quando se espera que as mulheres sejam submissas e se interessem apenas por atividades relacionadas a cuidar da casa e da família, transformando tudo em um único padrão aceitável.

Quais são seus impactos na vida das mulheres?

A imposição desses padrões acontece desde a infância, e acaba culminando em uma educação muito limitadora.

Um exemplo pode ser visto em uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Munique, na Alemanha, as boas notas e avaliações das estudantes envolvidas no estudo não foram suficientes para considerá-las como talentosas. Seu sucesso foi ligado ao esforço e à disciplina em vez da inteligência, o que não aconteceu com estudantes homens.

Além da carreira, a desigualdade de gêneros também tem impacto direto na vida social das mulheres.

As que trabalham fora encontram muita dificuldade em conseguir conciliar todas as responsabilidades e seus relacionamentos. Isso acaba gerando muito estresse e frustração — além, é claro, de conflitos de todos os lados.

Como trabalhar a autoestima quando não há igualdade?

Ainda que o contexto seja de desigualdade e que a autoestima seja algo construído desde a infância, há alguns passos que você pode seguir para superar os obstáculos e se tornar uma mulher mais segura de si. Vejamos, a seguir, quais são eles:

Não se compare com os outros

Um dos maiores problemas do estereótipo de gênero é a comparação, principalmente porque a sociedade exige padrões de beleza e comportamentos praticamente inatingíveis.

Portanto, celebre suas conquistas, respeite o seu tempo e use o sucesso alheio apenas como motivação para atingir os seus objetivos, não para diminuí-los.

Não tenha medo de se expor ao novo

Aventurar-se por caminhos desconhecidos é uma excelente maneira de aprender mais sobre si. Você pode aprender uma nova língua ou praticar um esporte radical, e descobrir habilidades que nem sabia que tinha.

Fazer teatro, por exemplo, é um grande passo para se desenvolver pessoalmente. Afinal, as aulas trabalham com a timidez, a expressão corporal e vocal e as suas emoções — tudo de maneira muito natural, e sempre respeitando seus limites.

Envolva-se com grupos de apoio à igualdade de gêneros

Normalmente, esse tipo de grupo promove discussões e busca por soluções em conjunto para uma sociedade mais justa. Por isso, esse passo é ótimo para abrir os seus horizontes e conhecer pessoas que passam pelas mesmas dificuldades que você.

Enfim, sabemos que qualquer mudança sempre exige muito de nós, portanto, lembre-se de ser gentil consigo e ter bastante paciência: você não está sozinha nessa! O caminho para a igualdade é mesmo longo e tortuoso, mas pode ser vencido com mais facilidade se você estiver mais centrada e confiante em suas escolhas.

E agora, se gostou deste post, aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de mais conteúdos para continuar seu crescimento tanto pessoal quanto profissional!

    Quer aprender a se comunicar melhor? Receba nossas dicas:

    Sem comentários

    Cancelar