Tag Archives: cultura

Elaboramos este post para voce conhecer os benefícios da arte e ver que podem fazer uma enorme diferença na sua vida. Entenda mais.

6 benefícios da arte que podem mudar a sua maneira de ver o mundo

Não é de hoje que nós conseguimos perceber os benefícios da arte. Desde a antiguidade, ela é utilizada como uma forma de expressão do homem, que registrava a história, a cultura, os sentimentos e as convicções de seu tempo. Por isso, ela também sempre foi vista como um instrumento de reflexão e transformação da nossa maneira de pensar e entender o mundo.

Na verdade, a arte está intimamente ligada à história e à evolução do ser humano, tanto que as expressões artísticas mais antigas da qual temos notícia são as pinturas rupestres do homem pré-histórico. Com o passar do tempo, no entanto, essas manifestações evoluíram, dando origem às artes que conhecemos atualmente.

Hoje, uma das expressões artísticas mais conhecidas pela humanidade é o teatro. Essa forma de manifestação cultural traz inúmeros benefícios para aqueles que a praticam, e com certeza, irá ampliar e melhorar a maneira como tais pessoas enxergam o mundo ao seu redor.

Por meio dessa prática, muitas pessoas conseguem ampliar seus horizontes, desenvolver habilidades interculturais e até acumular diversos ensinamentos.

Pensando nisso, elaboramos este post. Nele, você vai conhecer os benefícios dessa arte que podem fazer uma enorme diferença na sua vida. Ficou interessado? Então, prossiga a leitura!

1. Promove mais flexibilidade

Quando se decide praticar uma arte, é preciso estar ciente que isso se assemelha a participar de uma grande aventura. Afinal, as artes envolvem riscos e desafios. No teatro, por exemplo, um ator exerce enorme influencia sobre os seus pares e ao mesmo tempo precisa ter plena atenção ou que se chama visão periférica.

Nessas situações, o artista deve ser capaz de usar sua flexibilidade para contornar o imprevisto. Ou seja, ele deve transformar o erro em uma oportunidade de improvisação para criar uma estratégia que traga um resultado positivo.

O nosso dia a dia deve ser encarado da mesma forma, pois é extremamente importante preservar e lapidar a habilidade de se adaptar à situações inesperadas ou desagradáveis. Dessa forma, por meio da arte é possível perceber que os erros, os obstáculos e as dificuldades que fazem parte da vida. Essas são as barreiras que devemos transpor para encontrar e desenvolver nosso verdadeiro potencial.

2. Possibilita o acúmulo de ensinamentos

Ao longo da evolução da humanidade, nós criamos o hábito de contar histórias e, atualmente, o teatro é uma das artes usadas para narrar e representar várias delas, cada uma com objetivos diferentes.

Algumas narram contos fantasiosos, enquanto outras falam de momentos históricos e grandes personalidades do mundo. No entanto, elas sempre têm algo em comum: todas trazem uma lição, um ensinamento ou até um conselho de vida escondido ao longo da narrativa.

Por isso, essas narrativas conseguem nos mostrar como nossas escolhas e atitudes afetam o mundo em que vivemos e aqueles que estão ao nosso redor. Elas também nos dão a chance de refletir sobre quem somos no presente e quem queremos ser no futuro.

Assim, essa reflexão é capaz de promover mudanças significativas na forma como nos enxergamos e em nosso comportamento, transformando os ensinamentos acumulados em experiência de vida.

3. Fortalece nossas conexões com o mundo

A arte, em geral, é um trabalho de conexão com a alma, com o mundo e com aqueles que estão a sua volta. Ela estabelece uma troca de energia, de expressões, de sentimentos e sensações. É por meio dessa troca que conseguimos compreender o valor do outro e o que realmente consideramos importante em nossas vidas.

Da mesma forma, o teatro trabalha a conexão humana. Afinal, ele nos mostra o mundo pelos olhos do outro, permitindo que nos conectemos com sua mais profunda essência para entender seus anseios, desejos e sonhos. Com isso, essa arte eleva nossas conexões a um novo nível, no qual podemos perceber que não estamos sozinhos no mundo e que devemos lutar para torná-lo um lugar melhor para todos.

4. Amplia horizontes

A ampliação dos horizontes é, sem dúvida, um dos benefícios da arte que mais podem alterar o seu modo de ver o mundo. Isso porque ela não se prende a uma série de regras e diretrizes. Pelo contrário, ela é fluida e está em constante desenvolvimento. A arte traz inovação, renovação e ainda quebra barreiras muitas vezes consideradas inquebráveis.

Por isso, aqueles que se entregam às artes, em especial ao teatro, conseguem ter uma visão ampla do mundo e da vida. Com ela, é possível se desprender de velhos padrões e convicções.

Assim, o artista tem a capacidade de criar o que está além do cotidiano, de promover visões críticas sobre algum tema e até de propor reflexões por meio de sua arte.

5. Desenvolve habilidades interculturais

O teatro é, na verdade, um grande palco do mundo. Afinal, por meio dele, qualquer cultura, tradição e costume pode ser representado — visto que esse também é um meio que luta pela superação dos preconceitos. Devido a tal característica, essa arte nos permite desenvolver e aprimorar nossa habilidade intercultural.

Basicamente, essa habilidade está ligada ao respeito às diferenças de cada um. Com ela, conseguimos compreender e absorver experiências de contextos diferentes dos que estamos acostumados, extraindo ensinamentos diversos e zelando pelo bom convívio entre os povos — mantendo sempre em mente que nenhuma cultura é melhor ou pior que a outra.

6. Cria novas expectativas

Por fim, vamos destacar um dos mais fascinantes benefícios da arte: sua capacidade de despertar novas expectativas em nossas vidas. Afinal, ela se apresenta como um mundo novo, cheio de descobertas e possibilidades para serem exploradas. É por isso que quem mergulha nesse universo abre a mente para uma série de novas experiências.

Em suas mais variadas formas, a arte nos traz um infindável enriquecimento cultural, social e humano. Um exemplo é são as aulas de teatro, onde podemos vivenciar a arte de uma forma que nunca poderíamos ter tido acesso.

Por meio da arte, também encontramos diferentes crenças, pensamentos, experiências e personalidades, nos levando a entender o quanto a vida é rica e que deve ser desfrutada sem medos e amarras.

Como você pôde perceber, existem diversos benefícios da arte que são capazes de transformar nossa forma de ver o mundo. Mas, eles vão muito além disso, podendo contribuir também para o nosso desenvolvimento pessoal e intelectual, garantindo que nos tornemos pessoas mais felizes, sábias e completas. E então, está esperando o que para começar a mudar a sua forma de ver o mundo por meio da arte?

Gostou do nosso conteúdo sobre os benefícios da arte e quer saber mais sobre assuntos relacionados?

Conhecimentos que te ajudam a ser um bom ator/profissional

Conhecimentos que te ajudam a ser um bom ator/profissional

Para se tornar um bom ator profissional é preciso adquirir certos conhecimentos. Afinal, ninguém consegue se sair bem em uma profissão sem saber certos detalhes. Por esse motivo separamos algumas dicas dos conhecimentos que não são necessários para ser um bom ator.

Conhecimentos que um bom ator profissional precisa ter

Um ator precisa ter alguns conhecimentos que são necessários para se sair bem nessa profissão. Ao fazer um curso técnico ou universitário na área alguns pontos são muito bem trabalhados. Mas existem os atores amadores que possuem talento e que não cursaram um curso técnico ou universitário. Por esse motivo, saber o que é preciso para se sair bem nessa profissão é essencial para seu estrelato.

Versatilidade

Um bom ator é aquele que é versátil. Uma forma de conseguir isso é lendo, em voz alta, um trecho de algo modificando a voz e até o sotaque. Para isso vale muito a pena assistir vídeos de pessoas que falem o dialeto que está sendo ensaiado. É necessário prestar atenção a forma como a boca mexida, as palavras são articuladas entre outros pontos.

Caso seja possível conversar com algum nativo daquele dialeto melhor ainda, pois fica mais fácil prestar atenção a detalhes que possam ter passado despercebidos. Outra forma de conseguir isso é contratando um preparador especializado ou um professor.

Projetar a voz

Isso é essencial principalmente para o ator que gosta de atuar no teatro, pois alguns membros da plateia ficam mais distantes do palco. Saber falar alto e em um bom tom é essencial e para isso é recomendado não fumar, beber ou tomar alguma medida que deixe as cordas vocais desidratadas.

Já para o ator de cinema é importante que tenha atenção com o clima da cena. Se os demais atores estão tristes é preciso transparecer esse mesmo sentimento.

Mas atenção, uma voz projetada não significa gritar e por isso há uma técnica. Para que ela seja projetada é preciso respirar pelo diafragma para que tenha mais profundidade e o volume da voz seja aumentado.

Atenção com o estado emocional em cena

O personagem deve transparecer a emoção do momento. Isso quer dizer que se ele se sente feliz o ator deve deixar que esse sentimento surja de forma convincente. Uma forma de conseguir isso é lendo alguns roteiros e determinando as principais emoções em cena. Além do mais, o estado emocional que a cena possui ajuda o ator a não esquecer suas falas, pois elas podem ser associadas as emoções.

Habilidades de palco

Os gestos com as mãos fazem parte de um bom ator profissional, mas não é apenas isso que o torna bom. Afinal, as emoções também devem transparecer em seu rosto para que a plateia saiba o que ele está sentindo.

Mas nada impede que outras técnicas sejam desenvolvidas como é o caso da coreografia, canto e dança. Isso o torna um profissional muito versátil e completo. O ator também pode fazer aulas de combate para que possa aprender a simular lutas, por exemplo. Os diretores de elenco com certeza ficarão impressionados.

O ator profissional ainda pode fazer aulas de dança para se tornar mais versáti. Caso queira fazer algo extraordinário pode ter habilidades que não são comuns, mas que podem ajuda-lo a conseguir papeis mais impressionantes.

Quais são os mais famosos e importantes teatros do Brasil? Pensando em responder a essa pergunta, criamos uma lista com cinco espetaculares construções!

Teatros brasileiros: conheça os mais importantes e famosos

As artes cênicas são uma das mais antigas formas de expressão cultural do mundo. Estima-se que a prática surgiu no século VI a.C, fruto de pequenas homenagens aos deuses realizadas na Grécia Antiga. Desde então, teatros brasileiros e ao redor de todo o planeta dão continuidade à riqueza dessa arte.

No Brasil, o teatro é parte crucial das manifestações culturais que acontecem em todo o território. Por conta disso, diversas construções têm relevância histórica para a nação, agindo como pontos turísticos importantes e como palco para espetáculos, momentos e artistas inesquecíveis.

Mas afinal, quais são os mais famosos e importantes teatros do Brasil? Pensando em responder a essa pergunta, criamos uma lista com cinco espetaculares construções que dão abrigo às mais diversas apresentações artísticas do país. Boa leitura!

1. Theatro Municipal de São Paulo (São Paulo, SP)

Quando falamos de teatros relevantes do ponto de vista histórico, é impossível não mencionar o Theatro Municipal da capital do estado de São Paulo. Essa construção centenária foi palco de diversos momentos importantíssimos da história brasileira, como é o caso da Semana de Arte Moderna (1922).

A construção tem capacidade para mais de 1500 pessoas e é um dos cartões-postais mais conhecidos da cidade. Hoje, conta com diversos corpos artísticos e projetos de formação, que envolvem a dança, o canto lírico, as artes dramáticas e a orquestra sinfônica do município.

2. Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, RJ)

Localizado na Cinelândia e inaugurado em 1909, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro é considerado um dos edifícios mais bonitos do país. Sua construção foi feita por conta do clamor popular, que necessitava de um endereço para abrigar as diversas manifestações culturais que aconteciam na cidade.

Atualmente, o teatro tem capacidade para mais de 2300 pessoas e abriga, além de apresentações de canto, música e dramaturgia, obras de arte de artistas importantes na data de sua construção. Por conta disso, esse local é considerado como um museu artístico.

3. Teatro Amazonas (Manaus, AM)

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o Teatro Amazonas é um dos mais importantes representantes da região norte do país. Foi inaugurado no ano de 1896 e hoje é referência de cultura e elegância na cidade de Manaus.

Atualmente, o teatro abriga apresentações de canto lírico, corais, orquestras e até mesmo grupos de dança, além das famosas peças de teatro que costumam encantar a população nativa e os turistas que visitam o município.

4. Theatro da Paz (Belém, PA)

Um dos mais antigos teatros brasileiros (sua inauguração ocorreu em 1878), o Theatro da Paz tem esse nome como uma homenagem ao fim da Guerra do Paraguai, que durou cerca de 6 anos e foi o maior conflito armado da história da América do Sul.

Com estilo predominantemente neoclássico, esse teatro foi construído durante o auge do ciclo da borracha e está ligado diretamente à Praça da República. O edifício recebe apresentações líricas, de dança e teatrais, fazendo dele um dos principais polos culturais do nordeste do Brasil.

5. Teatro de Santa Isabel (Recife, PE)

Também localizado na Praça da República, mas desta vez na cidade de Recife, o Teatro de Santa Isabel é outro representante do estilo neoclássico entre os teatros brasileiros. Seu nome foi dado em homenagem à princesa Isabel e, por isso, a família real foi uma das mais ilustres visitantes do local.

Após passar por diversas reformas (a última delas no ano 2000) visando sua preservação e melhoria da infraestrutura, o teatro abriga apresentações diversas, que envolvem concertos da orquestra sinfônica e espetáculos teatrais. Além disso, todos os domingos são feitas visitas guiadas para que a população possa conhecer mais sobre a sua história.

E aí, gostou de saber um pouco mais sobre alguns dos mais famosos teatros brasileiros? Inclua esses pontos turísticos nos roteiros de suas futuras viagens e incentive cada vez mais a produção artística de nosso país.

Para que outras pessoas também possam conhecer essas belas construções e suas histórias, compartilhe este artigo em suas redes sociais!

E se você procura entrar no mundo teatral o Macunaíma oferece os melhores cursos para quem quer ingressar no mágico mundo do teatro.

Em um primeiro momento o teatro foi utilizado pelos padres jesuítas com o intuito de catequização dos índios. Ficou interessado? Veja mais.

Conheça 4 curiosidades da história do teatro no Brasil

A história do teatro no Brasil teve início em meados de 1500, quando os portugueses chegaram às nossas terras e nos tornamos colônia. Em um primeiro momento, essa forma de arte foi utilizada pelos padres jesuítas com o intuito de catequização dos índios.

Isso se deu porque a população indígena já demonstrava grande inclinação para a música e a dança. Sendo assim, os religiosos perceberam o potencial do teatro como uma ferramenta de “civilização” — uma vez que a representação causava muito mais impacto do que um sermão.

No entanto, foi só com a chegada do Romantismo, no século 19, que a prática teatral se desenvolveu no país e grandes nomes começaram a surgir.

Ficou interessado? Então, continue a leitura deste artigo e conheça quatro curiosidades sobre a arte dramática no Brasil!

1. Particularidades do cenário teatral brasileiro

Como se pode perceber pela introdução, a preocupação inicial da prática teatral no Brasil era movida por interesses religiosos e não havia tanto cuidado com o aspecto artístico, mas sim com o pedagógico. As peças eram encenadas em espaços públicos ou em colégios e os atores eram amadores.

No século 17 começaram a surgir peças teatrais que celebravam acontecimentos políticos e algumas festas populares — muitas delas parecidas com o carnaval, pois as pessoas desfilavam com adereços e tocavam instrumentos enquanto dançavam pelas ruas.

Mas foi com a chegada da família real que o país vivenciou um marco no desenvolvimento de seu cenário teatral, no século 19. Isso se deu pelo Decreto de 28 de maio de 1810, assinado por D. João VI, que visava à construção de teatros de qualidade para a nobreza. Porém, as peças encenadas vinham da Europa, principalmente da França, e não traduziam a cultura brasileira.

Em 1880, escravos brasileiros foram libertados na Nigéria e fundaram a Brazilian Dramatic Company, a primeira companhia dramática brasileira. A partir de 1900, o teatro se consagrou e sobreviveu a todas as crises políticas que o país enfrentou, inclusive a ditadura de 1937 a 1945 e o Golpe Militar de 1964.

2. O primeiro teatro do Brasil

Primeiramente, é importante ressaltar que já existiam alguns pequenos teatros espalhados por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Maranhão antes do Decreto de 1810. Dentre eles, podemos citar a Casa da Ópera em Ouro Preto (MG), o Teatro São João em Salvador (BA) e o Teatro União, em São Luís (MA).

Entretanto, o primeiro Grande Teatro brasileiro foi o Real Theatro São João, no Rio, que foi inaugurado em 1813. O edifício sofreu alterações em sua estrutura devido a três incêndios e precisou passar por reformas e até reconstruções. Além disso, mudou de nome algumas vezes — o mais conhecido deles foi Teatro São Pedro. A partir de 1923, passou a ser conhecido por sua alcunha atual: Teatro João Caetano.

Esse teatro é um local muito importante para a história do Brasil, pois foi lá que a primeira Constituição foi assinada. Atualmente, também é conhecido por sua versatilidade, uma vez que recebe peças de gêneros bastante variados. O prédio fica localizado na Praça Tiradentes, no Centro Histórico do Rio de Janeiro.

3. Grandes nomes da história do teatro brasileiro

Agora que você já sabe mais sobre essa arte no país, conheça, a seguir, os principais participantes do cenário teatral ao longo do tempo.

Padre José de Anchieta

Considerado um grande manifestante da cultura medieval no Brasil, José de Anchieta chegou ao país em 1553. Seus autos tinham como objetivo a catequese dos índios e continham características tanto indígenas quanto religiosas. Além disso, sua poesia em verso medieval também merece destaque, bem como a primeira gramática do tupi-guarani — que servia como a cartilha dos nativos.

João Caetano

Nascido no Rio de Janeiro, esse foi um grande ator do século 19 no país e, além de empresário e ensaiador, era autodidata na arte dramática. Seu trabalho é visto como grande referência na reforma do cenário teatral do país e suas ideias estão presentes em seus dois livros: “Reflexões Dramáticas” (1837) e “Lições Dramáticas” (1862).

Em 1860, abriu uma escola de teatro com ensino gratuito e também criou um júri para avaliar e premiar as produções teatrais no país.

Artur Azevedo

Maranhense, Azevedo chegou ao Rio aos 18 anos (em 1873) e foi crítico teatral. Sua carreira nesse ramo começou com a tradução e a adaptação de peças teatrais francesas — foram cerca de 40 comédias que retratavam os costumes da sociedade. Participou da construção do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e tornou-se o nome mais conhecido do cenário dramático nacional daquela época.

Machado de Assis

Você, com certeza, conhece Machado de Assis por seus romances atemporais (como Dom Casmurro e Memórias Póstumas de Brás Cubas), não é mesmo? No entanto, esse grande escritor brasileiro também teve uma importante participação no desenvolvimento da dramaturgia nacional.

Assim como Azevedo, traduziu diversas peças de teatro francesas e foi crítico atuante no Conservatório Dramático. Além de seus livros, deixou poesias, contos, comédias e também algumas peças de teatro.

Quanto a nomes mais atuais, podemos citar Nelson Rodrigues, Dias Gomes, Miguel Falabella e Ivo Bender.

4. As peças teatrais mais icônicas do país

Conheça, agora, as principais obras dramatúrgicas brasileiras, sucesso de público e crítica.

O Juiz de Paz na Roça

É a primeira comédia de costumes brasileiro, tem 23 atos e foi escrita por Martins Pena em 1838 — é considerada uma das melhores obras dramáticas do Brasil, com críticas sociais aos costumes do Rio de Janeiro. Sua primeira encenação nos palcos aconteceu em outubro de 1938.

O Auto da Compadecida

De Ariano Suassuna, foi encenada para primeira vez em 1956, em Pernambuco, e dirigida por João Cândido. Seu sucesso se deu ao misturar de maneira inteligente elementos do barroco católico e da cultura popular, passando pelo cordel e pela comédia. Em 1999 virou filme e é celebrado até hoje.

O Pagador de Promessas

Escrita por Dias Gomes, teve sua estreia em 1960, no Teatro Brasileiro de Comédia, em São Paulo. Seu filme homônimo foi escrito por Anselmo Duarte e lançado em 1962 — o longa levou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, na França.

A Partilha

Esta é a obra mais atual da lista e foi escrita e dirigida por Miguel Falabella em 1991. A comédia dramática ficou 6 anos em cartaz e foi encenada em 12 países, o que levou a uma continuação em 2000: A Vida Passa, também de autoria de Falabella.

Como pudemos perceber, o cenário teatral brasileiro possui uma história muito rica e diversa, com opções que agradam todos os gostos e idades. Apesar da forte influência europeia, principalmente francesa, aos poucos os dramaturgos encontraram sua voz e transformaram o teatro em uma arte bastante democrática.

E aí, curtiu saber mais sobre a história do teatro no Brasil? Então, compartilhe este artigo nas redes sociais e converse sobre o assunto com seus amigos!

Para ajudar os que ainda não acreditam em seu potencial no teatro, elaboramos uma lista com os sete filmes que todo o ator deveria conhecer.

Sete filmes que todo o profissional de teatro deveria conhecer

Para o profissional de teatro, ensaiar exaustivamente suas técnicas de interpretação, repetindo movimentos, entonação da voz, gestual e composição do personagem é importante para que evolua como ator e possa encarar com competência personas mais densas e que exijam mais dedicação.

Ficar apenas na interpretação solitária ou nas aulas, no entanto, pode não ser o suficiente, além de até um pouco cansativo. Afinal, alguns atores podem se decepcionar por acreditar que seu desempenho não é tão bom quanto o de um colega de cena.

Para ajudar os que ainda não acreditam em seu potencial, ou estão em busca de outras inspirações que vão além da sequência aulas de teatro, exercícios e interpretações em frente ao espelho, elaboramos uma lista com os sete filmes que todo o ator deveria conhecer.

1.O que terá acontecido a Baby Jane?

Neste filme, o espectador é apresentado a Jane Hudson, atriz que ficou famosa durante sua infância, conhecida pela alcunha de “Baby Jane”. Anos depois, agora idosa e afastada do público, Jane vive em sua mansão com sua irmã, Blanch Hudson, que viu sua carreira terminar depois de um sério acidente.

Para retomar o sucesso de antes, Jane decide reviver “Baby Jane”, não importando quem esteja em seu caminho ou o que é necessário fazer para isso.

2.Touro Indomável

O filme retrata a vida do pugilista peso médio Jake LaMotta, conhecido também como “o touro do Bronx”, seu sucesso na carreira e seu fracasso na vida pessoal, reflexo de um temperamento violento e possessivo.

3.Trama diabólica

Neste filme, um cabeleireiro e um escritor de histórias de mistérios dividem a mesma mulher. O segundo, um marido que pretende ficar com a amante propõe ao cabeleireiro, amante de sua mulher, o roubo e a venda de suas joias, mas o que parecia simples se torna uma verdadeira batalha intelectual entre mentes brilhantes.

4.A malvada

Um clássico do cinema, o filme mostra a vida de Eve Harrington, desde quando foi contratada como secretária até ter alcançado o estrelato, tudo começando com uma premiação, nos moldes do Oscar.

5.Segredos e mentiras

O filme gira em torno da busca de Hortense Cumberbatch, uma mulher negra abandonada pela mãe quando criança e que foi adotada por uma família branca, por sua verdadeira família após a morte de sua mãe adotiva.

6.Adeus, minha concubina

No filme, que se passa na Pequim de 1925, vemos a rotina de uma academia que ensina a arte do teatro a garotos pobres. Um deles, com traços mais femininos, acaba sendo ensinado a interpretar papeis de mulheres, enquanto o outro é ensinado a interpretar papeis masculinos.

Anos depois, o amor acaba separando os dois, que se veem obrigados a retomar a amizade após conflitos políticos colocarem a vida de um deles em risco.

7.O mensageiro do diabo

O filme conta a história de um assassino de viúvas ricas que, depois de libertado da prisão, passa a perseguir uma família em busca de um dinheiro que só ele sabia existir.

Antes de tudo, é importante entender que essa expressão é fundamental em uma sociedade democrática e justa. Leia mais no artigo.

A voz da arte: qual a importância da liberdade de expressão?

Prevista na Constituição Brasileira e na Declaração Universal dos Direitos Humanos, a liberdade de expressão é uma das condições mínimas para uma sociedade civilizada. Mas, afinal, o que está por trás dessas três palavrinhas tão comentadas ultimamente? Quando você pensa em liberdade de expressão, o que lhe vem à cabeça?

Antes de tudo, é importante entender que essa expressão é fundamental em uma sociedade democrática e justa. Além disso, a liberdade de expressão também é necessária para o pleno desenvolvimento artístico e cultural de um país. Arte e cultura, como você sabe, são os pilares de qualquer sociedade. Quer entender melhor o assunto? Então, leia com atenção!

A importância da liberdade de expressão

Em primeiro lugar, trata-se de um direito humano. Todos têm a prerrogativa de externar suas ideias, debater sobre temas públicos e questionar as autoridades, com respeito e mediante argumentos, de forma clara e sem anonimato. Caso contrário, teríamos uma sociedade muda, indiferente às mudanças com o avanço dos tempos e incapaz de expressar seus desejos e necessidades, tanto para as autoridades quanto para o mundo.

É um direito que vem sendo muito debatido no país recentemente. Após a pressão e as contestações de grupos que protestaram contra exposições artísticas em diferentes cidades brasileiras, uma pergunta emergiu: afinal, até que ponto vai a liberdade de expressão?

A verdade é que não há resposta pronta para esse tipo de questionamento. A liberdade de expressão abrange, inclusive, o direito de questionar juridicamente alguma mensagem que possa ser considerada ofensiva.

O que é importante esclarecer é que, pela Lei, não há previsão de censura oficial no país e todos são livres para se manifestar da forma que bem entenderem. É fundamental sair do senso comum e começar a agir com senso crítico, buscando um olhar mais complexo das coisas ao nosso redor.

No entanto, é preciso ter consciência dos seus atos. Temos visto recentemente muitos casos de fake news (as chamadas notícias falsas) sendo divulgadas.

Esse ato não se enquadra na liberdade de expressão e o autor pode ser punido. Se manisfestar de forma anônima, nesses e em outros casos, é vedado pela Constituição Brasileira — e compartilhar notícias falsas contribui para tal disseminação.

Liberdade, expressão e a democracia

Por estes e outros motivos apresentados até aqui, a liberdade de expressão anda, lado a lado, com a democracia. Sem a participação plena de todos os setores da sociedade, não pode existir um regime democrático. E a participação de todos pressupõe que o direito à expressão e à manifestação seja igualitário, não é mesmo?

A discussão pública, livre de censura e na qual todos possam externar aquilo que desejam para a comunidade, é a única forma de se chegar ao consenso, de tomar decisões e de iniciar mudanças que são necessárias para a sociedade. Pois, se nem todos são capazes de se expressar, como conhecer seus anseios e vontades para o futuro?

Outro ponto a ser considerado no debate sobre a liberdade de expressão é o acesso livre e pleno à informação. Esta é uma questão muito importante, principalmente na era da internet. Importante ressaltar, contudo, que a Constituição veda o anonimato. Ou seja, é preciso ter responsabilidade ao disseminar informações e opiniões, para não incorrer em erros ou injustiças.

Um cidadão só pode tomar consciência e se expressar em sua sociedade, se ele tem a capacidade de compreender o que se passa ao seu redor. Portanto, é preciso entender como funcionam as estruturas de poder de onde vive. E não só isso. Você também precisa ter acesso ao conhecimento e à cultura, para que consiga formar opinião, e por consequência, debatê-la livremente.

A expressão precisa ser livre em casa, no trabalho, na escola, nas ruas. Uma sociedade reprimida é uma sociedade atrasada, incapaz de arbitrar sobre os próprios rumos e de compreender o que a cerca.

Importantíssima também é a liberdade de expressão na arte. Como expressão máxima de uma cultura e de uma época histórica, as produções de cinema, teatro, música, literatura, fotografia, artes plásticas, entre os outros tantos tipos de arte, reproduzem o modo de vida de um povo. São um legado para o futuro além de, é claro, serem fontes de entretenimento.

A liberdade de expressão na arte

Toda obra artística reflete a visão de mundo do seu criador. Por isso, a arte serve como uma espécie de testemunho de seu tempo, na medida em que demonstra um ponto de vista da sociedade.

O impacto, sua longevidade e referência na história que uma obra de arte terá, depende desses fatores. Um exemplo é o quadro Guernica, do pintor espanhol Pablo Picasso. Com imagens fortes, ele retratou cenas de violência em referência à Guerra Civil Espanhola.

Até hoje, é um dos símbolos desse período histórico, fundamental para contar tal capítulo da história da Espanha, além de uma obra considerada genial, pois expressa uma verdade e um posicionamento próprios do autor. Nada disso teria acontecido se Pablo Picasso não gozasse de plena liberdade para criar sua arte.

Portanto, a liberdade de expressão é um dos fundamentos da arte de qualidade, aquela que é duradoura, que mexe com a vida das pessoas, que reflete a sociedade e que faz alguma diferença.

Uma obra de arte não precisa ser politizada, abertamente discursiva ou denunciando algum problema social para ser eterna e memorável. Basta que dê vazão à liberdade de expressão de seu autor, para registrar o seu momento histórico e conquistar as pessoas por meio da empatia.

Mas é inegável que a arte e a política andam juntas, e que a primeira é um caminho para o melhor entendimento da segunda. Todos os grandes acontecimentos políticos, tanto do passado quanto do presente, foram discutidos e refletidos em criações espalhadas pelo Brasil.

E nesse sentido, se envolver em algum tipo de criação artística escoa aos anseios políticos e inquietações sobre a sociedade. Para aqueles que querem exercer seu direito à liberdade de expressão, procurar uma arte para exercitar sua expressão é fundamental.

O teatro é uma das opções. Por meio da encenação de peças, o artista consegue dar vida aos personagens e situações, dessa forma provocar questionamentos. Trata-se de uma arte muito revolucionária e importante em muitos momentos decisivos da história do país.

Se você procura exercer sua liberdade de expressão de forma plena por meio da arte, e com isso contribuir para uma sociedade mais rica e diversa, busque a forma de arte que tiver mais a ver com você.

O Teatro Macunaíma, por exemplo, oferece opções de cursos de teatro, com muita qualidade e uma grande experiência em ensinar essa arte tão nobre! É uma boa ideia, não acha?

Senso critico

Qual a importância do senso crítico?

A partir do momento que um ser humano nasce até o momento de sua morte, ele aprende uma série de conceitos, dos quais o auxiliam no seu direcionamento da vida. Tais conceitos nada mais são do que ideias que com o passar dos anos vão moldando o caráter do indivíduo, refletindo em todas as suas decisões.

Durante a sua infância, um indivíduo absorve como verdade absoluta tudo aquilo o que lhe é ensinado, como por exemplo, o idioma, as expressões corporais e valores sociais. Na medida em que vai crescendo, novos conceitos são adquiridos. Boa parte das pessoas, já na fase adulto, possui um senso comum, que nada mais é do que o modo de pensar da maioria da sociedade.

Embora o senso comum faça parte do meio em que vivemos, é importante que tenhamos uma visão diferenciada e mais complexa das coisas ao nosso redor. Em outras palavras, é importante que tenhamos o senso crítico desenvolvido.

Mas afinal, por que é tão importante ter senso crítico das coisas?

O senso crítico é importante não apenas durante o período escolar do ser humano, mas toda a sua vida. Um senso crítico ativo auxilia o homem em diversas situações do cotidiano, bem como em circunstâncias onde deve-se agir eticamente e moralmente.

Como desenvolver o senso crítico?

Apesar de soar como um clichê, a recomendação “leia mais” é a melhor maneira de se desenvolver o senso crítico. Afinal, para você poder opinar sobre aquilo que você pensa sobre determinado assunto, é necessário, antes de tudo, conhecê-lo.

No entanto, ainda assim o número de pessoas que têm acesso a mais de uma forma de comunicação e aprendizado é muito baixo. Além do mais, é comum que as pessoas convivam em grupos onde há uma semelhança ou igualdade de opiniões, tornando o desenvolvimento do senso crítico ainda mais difícil.

Para quem busca expandir o seu senso crítico, é essencial fazer algumas mudanças e adotar alguns hábitos. Uma forma de se enriquecer culturalmente é por meio de aulas de teatro.

O teatro é considerado uma das principais formas de aquisição de cultura, e cultura por sua vez gera conhecimento. Com as aulas de teatro o aluno será apresentado a diversos conhecimentos e conceitos, que o auxiliarão na visão de um novo mundo.

Além do mais, o teatro está totalmente relacionado à leitura, que, conforme explicamos, é a melhor forma de se desenvolver o senso crítico.

A reflexão é um ponto crucial

Ao adquirir um conhecimento ou ensinamento, é muito comum os aceitarmos sem fazer questionamentos ou refletir sobre o assunto. Isso é um grande equívoco.

A reflexão feita através dos entendimentos dos porquês, do contexto e de como determinado assunto afeta os indivíduos envolvidos, nada mais é do que a melhor maneira de se fazer uma avaliação justa.

Trata-se de um processo contínuo, mas na medida em que o tempo vai passando, esta reflexão será um hábito natural. No mundo atual em que vivemos, onde a problematização é uma das principais questões da sociedade, ter um senso crítico ativo faz toda a diferença.