Tag Archives: sentimentos

Um quadro clínico de depressão necessita de acompanhamento médico e psicológico, mas existem diversas outras atividades que podem auxiliar no tratamento.

Veja como a atividade teatral auxilia no combate à depressão

O grande mal do século XXI é a depressão, uma doença psíquica que acomete um grande número de pessoas e está crescendo especialmente entre jovens. Essa grave condição afeta níveis emocionais, químicos e físicos do corpo e tem levado a saúde mental da nova geração a um estado debilitante.

De acordo com um estudo preocupante conduzido pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, o índice de depressão subiu 37% nas pessoas de ambos os gêneros de idade entre 12 e 25 anos entre os anos 2005 e 2014. Observou-se que um dos principais responsáveis foi o cyberbullying e a hiperconectividade dessa geração.

No entanto, não há uma causa única e específica para a depressão. Ela pode acometer pessoas de qualquer idade, classe social, etnia ou gênero. Seus sintomas podem ser bem nítidos ou quase imperceptíveis, mas em geral são: apatia, desapego pelas pessoas próximas, irritabilidade, perda de apetite ou exagero na hora de comer, ficar trancado em casa, aumento de consumo de álcool e, até mesmo, outras drogas.

Um quadro clínico de depressão necessita de acompanhamento médico e psicológico, mas existem diversas outras atividades e atitudes que podem auxiliar no tratamento. Um exemplo é a atividade teatral.

Para descobrir como a atividade teatral pode ajudar no combate à depressão, continue lendo o nosso artigo!

Ajuda a expressar os sentimentos

O teatro é uma atividade que trabalha muito o emocional e a alegria. Ao interpretar personagens variadas, é possível se conectar com outros sentimentos e expressá-los. Ademais, para uma boa atuação, o espírito alegre como de uma criança é muito exercitado.

Por isso, muitos exercícios das atividades teatrais são dirigidos a lidar com o emocional e saber canalizá-lo. Um dos sintomas graves da depressão é justamente a dificuldade de lidar com os sentimentos e externalizá-los para outras pessoas, mesmo as mais próximas. Por isso, cursos como os oferecidos pelo Teatro Macunaíma ajudam nesse processo.

Estimula o autoconhecimento

O teatro, muitas vezes, tem roteiros profundos, que fazem emergir o próprio eu e entrar em contato com partes de si que estavam inconscientes, trazendo essa exploração íntima e importante à tona na interpretação. É um processo prazeroso, capaz de despertar emoções e auxiliar nessa busca interior ao conectar-se consigo mesmo.

Esse estímulo ao autoconhecimento é importante para ajudar no combate à depressão especialmente por permitir compreender e lidar com os próprios sentimentos conflitantes assim como a visão de mundo.

Promove a prática de atividade física

Um dos conselhos dos psiquiatras e psicólogos para o combate à depressão é a prática de atividade física, por motivos de equilíbrio hormonal e liberação de endorfina, por exemplo. Além disso, a prática de uma atividade física ajuda a estabelecer rotinas, que é muito relevante para quem está travando essa luta.

A atividade teatral, embora não pareça à primeira vista, traz enorme e profunda consciência corporal para melhor expressão.

Melhora a capacidade de se comunicar

O teatro é, em sua essência, sobre a comunicação. É transmitir de um ator ao outro uma verdade, aqui e agora, dentro da encenação e ao público a verossimilhança daquela cena. Ao interpretar, a pessoa se comunica por meio de “outra voz” que, em algum nível, também é dela. Isso ajuda a melhorar a capacidade de se comunicar.

Um dos grandes efeitos da depressão é a dificuldade de estabelecer elos e laços com o outro. Por isso, a atividade teatral pode ser de grande auxílio nessa árdua batalha, permitindo que, mesmo pela voz de uma personagem, a pessoa consiga dar os primeiros passos no sentido de reestabelecer esse vínculo de entendimento mútuo.

Permite buscar soluções para conflitos internos

O teatro, quase sempre, lida com questões profundas da psique humana ou de como a estrutura social atinge as pessoas. Os roteiros, quase sempre, são grandes metáforas para problemas e conflitos da humanidade. Essas lições ajudam a pensar nos próprios conflitos internos e nas formas de lidar com eles.

Isso auxilia muito no processo de identificar os gatilhos depressivos e os problemas da própria vida, questões essenciais para quem está combatendo a depressão. O reconhecimento dessas questões internas e a busca por soluções é um passo essencial para quem sofre de depressão.

Eleva a autoestima

A depressão ataca diretamente o senso de valor e a autoestima da pessoa. Realizar uma atividade como o teatro, em que é possível desenvolver-se e perceber-se na história e no mundo, ajuda a recuperar o amor-próprio, elevando a autoestima da pessoa.

O empoderamento que a atividade teatral fornece é um grande trunfo no combate à depressão. Ajuda a fortalecer a consciência de si mesmo, o que também auxilia a começar a retomar o controle sobre as ações do dia a dia.

Ajuda a desenvolver vínculos

Um dos maiores e mais preocupantes sintomas da depressão é o afrouxamento e o afastamento dos vínculos que a pessoa tem com entes queridos, amigos e colegas de trabalho. Isso, inclusive, gera um círculo vicioso difícil de ser quebrado, em que o depressivo se sente cada vez mais sozinho e o processo de solidão é intensificado por ele se sentir rejeitado.

O Teatro, em primeiro lugar, cria um grupo de amigos composto por pessoas usualmente empáticas e com interesses em comum. Segundo, permite que a aproximação seja gradual, inclusive com o intermédio da interpretação de papéis, o que ajuda no processo de combate à depressão. Além disso, é uma atividade interessante, complexa e que permite muitas conversas e discussões saudáveis.

Como vimos, a atividade teatral ajuda a tratar a depressão em diversos níveis. No entanto, é claro que os cuidados médicos, com o acompanhamento de psiquiatras e psicólogos durante todo o processo, são fundamentais, pois a depressão é um transtorno mental sério.

É importante lembrar sempre que procurar ajuda não é sinal de fraqueza, mas de coragem e determinação. Quanto mais cedo começar o tratamento adequado, melhor. Não é preciso ter vergonha de procurar um médico, um amigo ou uma atividade que possa ajudar.

A atividade teatral pode ser uma excelente forma de combater a depressão, além de oferecer muitos outros benefícios. Quer saber mais informações? Descubra aqui!

Vamos ajudar você a entender que demostrar sentimentos não é tão ruim assim, e que desenvolver maturidade emocional pode trazer diversos benefícios.

Demonstrar sentimentos: uma fraqueza ou maturidade emocional?

Quantas vezes já ouvimos para não demonstrarmos os nossos sentimentos? Emoções como paixão, raiva ou esperança são forçadas a permanecerem reprimidas. Isso acontece desde a infância, na tentativa de engolir o choro e ignorar a frustração. Essa postura surge, principalmente, diante do medo da vulnerabilidade e de parecer “fraco”.

As consequências disso não são pessoas mais maduras e “fortes” para a vida, mas um número cada vez maior de indivíduos que não conseguem desenvolver inteligência emocional.  Reprimir o que sente pode provocar um descontrole dos próprios sentimentos, comportamentos erráticos e até problemas com a saúde mental e física.

Neste post, vamos ajudar você a entender que demostrar sentimentos não é tão ruim assim, e que desenvolver maturidade emocional pode trazer diversos benefícios à sua vida. Acompanhe o texto!

Como desenvolver a maturidade emocional?

Qual é a solução? Chorar em todas as frustrações no trabalho? Explodir sempre que estiver irritado? Não, essas não são reações de uma pessoa com maturidade emocional.

Essa habilidade diz respeito a saber analisar, aceitar e compreender os próprios sentimentos para poder gerenciá-los na medida certa. Isso significa expressar quando se sentir injustiçado, mas não partir para a agressão.

Mas fique calmo caso você se enquadre nesse perfil e você não saiba como controlar suas emoções da melhor maneira. A maturidade emocional não é uma habilidade que nasce com a pessoa, é possível desenvolvê-la ao longo da vida por meio de alguns hábitos.

A seguir, confira três dicas para começar a praticá-la.

1. Aprenda com os erros e saiba se perdoar

A questão não é viver sem responsabilidade pelos próprios atos. Magoou alguém no passado? Disse alguma coisa que não devia na reunião com o chefe?

Assuma para si (ou até para os outros, se tiver a oportunidade) que errou e faça um compromisso de não repetir aquele comportamento. A partir disso, tente perdoar a si mesmo e procure viver sem o sentimento de culpa. Pode ser difícil, mas é preciso que você não fique apegado à dor do passado. Só assim é possível seguir em frente.

2. Conscientize-se dos sentimentos e fale sobre eles

Na tentativa de ignorar o que sentimos (seja por negação, convenção social ou culpa), tentamos enterrá-los o mais fundo que podemos, mas eles sempre aparecerão de outra forma. Seja em um ataque de raiva em um momento inoportuno, seja em uma tristeza que parece não ter causa aparente.

Permita-se aceitar as próprias emoções e tentar entender o porquê desses sentimentos. Quando organizar os próprios sentimentos, poderá falar racionalmente sobre eles. Esperar que desapareçam não é maduro.

Sendo assim, desabafe sobre tudo aquilo que está segurando, seja por meio da escrita, de trabalhos manuais ou conversando mesmo com quem está envolvido no assunto. Lembrando que é sempre bom ir ao psicólogo para ajudar a entender os próprios pensamentos.

3. Pratique mais a empatia sem se deixar abalar

A empatia é uma habilidade preciosa. Saber se colocar no lugar de outra pessoa e tentar enxergar o mundo por meio da realidade dela é extremamente útil na hora de buscar o diálogo. Isso previne brigas desnecessárias e nos ajuda a alcançar a maturidade emocional.

No entanto, por você se colocar no lugar da pessoa, não quer dizer que precise começar a misturar os seus próprios sentimentos com os dela. Cuidado para não absorver mais tristeza do que o necessário para compreender ou mais raiva do que consegue conter. É ótimo sentir junto com as pessoas, mas lembre-se da sua saúde mental também, certo?

Quais os benefícios da maturidade emocional?

Para começar, uma vida com mais leveza. Sem se apegar aos rancores dos próprios atos ou do passado, o indivíduo consegue resolver os problemas do dia a dia com mais foco e planeja o futuro com mais energia.

O crescimento é uma consequência inevitável. Aprender a lidar com os desafios que a vida vai mostrar e evoluir mais como ser humano são habilidades valiosas. Com isso, a relação com o trabalho, âmbito pessoal e com o mundo em geral só tende a melhorar.

Além disso, até mesmo o seu sistema imunológico vai agradecer! Um artigo da UNESP mostrou que várias pesquisas da Universidade relacionaram as condições emocionais com o aparecimento de doenças que afetavam o organismo, como o câncer. O equilíbrio da saúde física depende, também, da expressão de sentimentos.

Como demonstrar sentimentos pode ser uma força?

Quem esconde as emoções, acredita estar no controle delas. Na verdade, é somente ao lidar com elas que se pode gerenciar o que se passa dentro de nós. Expressar o que sentimos é a verdadeira força. De tanto medo de parecer vulnerável, é exatamente isso que você se torna.

Ao desabafar, você ganha mais saúde, foco e disposição para evitar as situações em que não se sente confortável. Mas, e se nem sempre for possível falar como queremos? De que outra forma podemos exprimir o que sentimos?

A Arte é uma das melhores maneiras. Pode ser pintura, música, artes cênicas e muito mais. Por exemplo, o teatro propõe a improvisação e a criação de personagens.

O ato de criar incentiva a criatividade e a autoconfiança. Encenar é expressar. As práticas teatrais trabalham o corpo e a comunicação, uma peça fundamental para transmitir o que realmente se sente. Além disso, é possível analisar o comportamento humano e compreendê-lo um pouco mais.

Como expressar sentimentos ajuda nas relações?

Quando você está em constante desenvolvimento da sua maturidade emocional, fica mais fácil se relacionar com as pessoas. Ao aprender a gerenciar suas próprias emoções, será possível entender as motivações para determinados comportamentos em relação a um tipo de indivíduo.

Assim, você poderá construir relacionamentos com mais confiança e respeito. Sabendo lidar com os próprios sentimentos, abrindo-se quando necessário e respeitando as opiniões dos outros, você vai conseguir desenvolver relações interpessoais tanto na vida privada quanto no trabalho, o que reserva mudanças positivas para o futuro.

Já deu para perceber o quanto é importante investir no seu amadurecimento emocional, não é? As consequências para a vida são inestimáveis e existem muitas formas de aprender a lidar com os sentimentos. Que tal começar um curso de teatro? Você vai desenvolver a sua autoconfiança, desinibição e criatividade. Venha conversar conosco! 

Quer saber como desenvolver seu autoconhecimento?

Entenda a importância do autoconhecimento e melhore ainda mais

Reconhecer suas emoções e saber lidar com elas, conhecer suas habilidades potentes e deficiências à serem fortalecidas, trabalhar para a sua evolução — tudo isso faz parte da jornada para entendimento de si e a percepção de identidade e valor pessoal. A importância do autoconhecimento não é novidade para ninguém.

Seja para a vida pessoal ou profissional, o tema tem sido bastante discutido. E isso não acontece à toa, já que se conhecer é essencial para que se tenha mais autoconfiança e bons relacionamentos (tanto amorosos quanto de amizade).

Quer saber como desenvolver seu autoconhecimento? Então é só continuar a leitura deste artigo e conferir nossas dicas!

Questione-se

Tire um tempo para respirar, pare e pense no que você realmente quer. Quais são seus maiores anseios, metas, objetivos e propósitos? Faça perguntas fáceis e difíceis para sair de sua zona de conforto, pois é fora dela que encontrará mais força de vontade.

Lembre-se de ser honesto, pois não haverá ninguém para lhe julgar. Não existe uma resposta ideal, nem o que é certo ou errado, o objetivo é apenas conseguir se enxergar melhor para tentar encontrar um bom caminho para a sua evolução.

Anote suas ideias e sentimentos

Essa é uma parte importante do processo. Sempre que tiver uma ideia — como a solução para um problema —, escreva e faça uma pequena análise da situação. Isso ajuda a organizar seus pensamentos e, portanto, exercita sua criatividade.

Não se preocupe em escrever algo que seja digno de virar um livro ou ser publicado em um blog, o importante é ter suas ideias e o que sente em mãos. Dessa maneira, você se conectará mais com você, o que pode trazer à tona soluções que antes pareciam estar esquecidas em sua memória.

Esteja aberto a mudanças

Acredite, mudar de opinião ou de comportamento é um sinal de maturidade, não de fraqueza. Toda essa jornada envolve a desconstrução de velhos conceitos e faz parte do processo de questionamento e reflexão. Ser flexível e aceitar que as coisas (e as pessoas) mudam deixa tudo mais leve.

Faça terapia

Sabemos que o autoconhecimento não é uma tarefa fácil, portanto, não hesite em procurar a ajuda de um profissional — passar por isso sozinho não é aconselhável. A psicoterapia lhe ajudará a lidar com a ansiedade e todos os sentimentos que poderão surgir nesse processo.

Um terapeuta proverá orientação para que você aprenda a melhor maneira de refletir sobre si e como lidar com o mundo e todas as suas demandas. Ele poderá ser um excelente aliado em seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Tire um tempo para si

Nesse mundo agitado e em meio a uma rotina frenética e altamente conectada a tudo, tirar um momento para ficar sozinho é essencial para sua saúde física e psicológica. Aproveite para relaxar e ficar offline, ter hábitos mais saudáveis, ler um bom livro, praticar exercícios físicos e ouvir músicas que lhe fazem bem.

Colocar-se como prioridade não é um ato de egoísmo e sim de respeito consigo. Para conseguir realmente respeitar os outros, é necessário, antes de mais nada, respeitar a si e a seus limites. Saber quando dizer não e delegar tarefas é essencial para que seus objetivos e sonhos sejam alcançados com mais facilidade e sem tanto sofrimento desnecessário.

Agora que você já entendeu a importância do autoconhecimento, aproveite para nos seguir no Facebook e acompanhar nosso conteúdo por lá também!