Tag Archives: teatro escola macunaíma

9 benefícios do teatro para sua vida pessoal e profissional

9 benefícios do teatro para sua vida pessoal e profissional

O palco, as falas, as músicas, as luzes, as grandes performances e os aplausos finais. A camada mais superficial do processo criativo do teatro esconde vantagens incríveis para o crescimento pessoal. Durante todo o processo, os benefícios do teatro proporcionam aos alunos e atores o desenvolvimento de habilidades que os auxiliam em todos os cenários da vida.

Experimentar esta prática artística pode parecer um desafio, mas o teatro envolve atividades que beneficiam o corpo e a mente. Consequentemente contribui para a formação pessoal e profissional dos alunos em vários sentidos, como por exemplo: respiração, postura corporal, leitura, fala e dicção.

Entre os inúmeros benefícios do teatro, listamos aqui nove pontos positivos que você vai aprender e desenvolver nas aulas teóricas e práticas. Confira!

As vantagens de fazer teatro

O aluno experimenta outras realidades

Vilão, herói, rei, ladrão, mendigo. O teatro abre um mundo lúdico e cria a possibilidade dos alunos experimentarem diversas realidades que, normalmente, eles não têm contato. A experiência, muitas vezes, é bem completa com a vivência das circunstâncias do personagem, fazendo com que o ator aprenda a se colocar no lugar do outro e desenvolva sua habilidade de empatia. Assim, o ator é levado a viver situações diferentes e a aprender com elas. 

Potencializa criatividade, espontaneidade e improvisação

A diversidade das atividades em aula e dos personagens vividos estimula a criatividade dos alunos.

Afinal, para se colocar em uma nova realidade, ele precisa se perguntar sobre o contexto que permeia a realidade do seu personagem e viver, a partir de si mesmo, as situações, experimentando elementos que fogem a sua rotina.

Os exercícios de improvisação também estimulam a criatividade, além de contribuir para o desenvolvimento de um raciocínio rápido mais rápido.

Técnicas de fala e retórica

A voz é um dos pilares do ator, por isso, durante a sua formação, o aluno faz vários exercícios para treinar sua capacidade de expressar os sentimentos.

Além disso, para criar um personagem, os atores vivenciam outros pontos-de-vista e contextos dos textos estudados. Essa é uma dinâmica bem importante para a percepção de suas posições e para exercitar a retórica em defesa dos seus pensamentos.

Trabalha expressão corporal e vocal

A capacidade de se relacionar com uma plateia é uma experiência que carrega diversos aprendizados.

Entre os benefícios do teatro, podemos acrescentar o desenvolvimento dacapacidade respiratória, flexibilidade, coordenação e mobilidade corporal. Além claro, de todo o trabalho que é realizado em torno da expressão vocal.

Os movimentos e expressões do corpo são fundamentais para desenvolver a expressão corporal necessária para dar vida aos personagens.

Senso de responsabilidade e comprometimento

O teatro não se faz com uma pessoa sozinha. Por trás de toda apresentação existem vários profissionais trabalhando para o espetáculo acontecer.

Fazer parte disso é estar dentro de um conjunto de ações que resultará em um produto coletivo: a apresentação. Essa dinâmica cria uma forte consciência quanto ao papel de cada um no resultado final.

Menos timidez

Só quem é tímido entende a dificuldade que é falar e expressar as próprias ideias em público. Perder a timidez não é uma tarefa impossível e aprender a desenvolver essa habilidade é libertador e vai fazer muita diferença na sua vida.

De todos os benefícios do teatro, um dos mais notáveis é justamente a redução da timidez.

O processo de autoconhecimento e o estímulo do amadurecimento diante do novo ajudam o ser humano a vencer (ou pelo menos controlar) a timidez.

Mais autoestima

A autoestima é a forma como percebemos e avaliamos a nós mesmos. Quando está baixa, afeta nas trocas de experiências, deixando a pessoa mais fechada e, às vezes, chegando ao ponto de não viver certas experiências por medo de falhar.

Com o teatro, o aluno aprende a como lidar melhor com os próprios erros. Ou melhor, aprende que o erro é relativo e que algo imprevisto pode levar a descobrir coisas novas. Ao desenvolver essa habilidade, ele consegue, inclusive aumentar sua capacidade de entender o outro e se aproximar dele de forma empática.

Dessa forma, o ator tem mais facilidade de se autoconhecer, se valorizando e aumentando sua autoestima.

Fortalecimento de processos mentais como concentração, memorização e imaginação

Nas dinâmicas das aulas de teatro, o aluno precisa de bastante concentração para poder lidar com os aquecimentos, os jogos e as improvisações. Ao mesmo tempo, precisa aguçar suas percepções e sua imaginação como ator. Por isso, a criatividade e a espontaneidade são duas habilidades bastante exploradas durante a formação de ator.

Incentivo a competências e habilidades sociais

Os jogos e atividades são pontes para os relacionamentos dentro do teatro. A interação entre alunos nos momentos de criação e o estudo dos personagens por meio de suas relações viabilizam uma outra experiência de convívio social. E é a partir desse conhecimento de si e do outro que se desenvolvem habilidades sociais, como empatia e trabalho em equipe.

As vantagens do envolvimento com a arte e a cultura

A vivência do teatro envolve contato com as diferentes formas de arte: interpretação, literatura, dança, artes visuais, entre outros. Ou seja, é uma arte completa que trabalha a consciência do trabalho em grupo e cria responsabilidades, ajudando o ator a se entender melhor.

Com isso, o teatro pode trazer mais vivacidade e transformar pessoas, oferecendo benefícios que ajudam em todos os aspectos da vida.

Se você quiser conhecer mais benefícios do teatro e ter acesso a outros conteúdos como este, assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades!

Venha conhecer as melhores 7 dicas de como se dar bem no teste de elenco! Você irá aumentar suas chances depois dessa leitura!

7 dicas de como se dar bem no teste de elenco

Todo aluno de cursos de teatro sonha com um teste para que possa pôr em prática todo o ensinamento que recebeu. Esse ensinamento é medido quando ele se apresenta para outras pessoas e, embora existam fatores que podem prejudicar a sua apresentação, como físico, psicológico, entre outros, a sua grande chance estará a sua frente e ele tem que fazer o seu melhor.

Pensando pelo lado do aluno, não é sempre que existe uma boa oportunidade para se apresentar, para fazer um teste, e isso afeta diretamente no seu estado psicológico, podendo causar problemas na hora do teste.

É por isso que este texto está sendo elaborado, para ajudar você a saber como se apresentar bem para o teste. Fique por aqui e observe as dicas abaixo.

Prepare-se para o teste

Uma das primeiras coisas que você precisa fazer e colher todas as informações do teste. Quando você é contatado para fazer o teste, algumas informações são passadas pelo produtor. Não esqueça de perguntar sobre o horário, o cachê, a roupa que deve ser utilizada, o local, enfim, tudo sobre.

Após pegar todas as informações, você tem que se preparar. Não utilize roupas chamativas, vá com as discretas e neutras, que possam mostrar o corpo, mas não sendo decotadas, nem indiscretas. Essas roupas devem te possibilitar realizar movimentos.

Leve consigo fotos do seu corpo e do rosto. Antes de fazer o teste, faça um aquecimento de voz, além de alongar também o corpo.

Decore o texto

Decore o texto que irá apresentar. Se você não conseguiu, não fiz que o fez. Não vá tentar desenvolvê-lo, pois isso poderá te trazer problemas. É melhor você ler o texto na hora do que apresentar qualquer conteúdo, só pra mostrar que você tentou.

Se perguntarem, decida.

Alguns testes são feitos da seguinte maneira: o diretor pede pra você escolher entre dois monólogos e pergunta qual você prefere. Essa pergunta é pra saber o que te atrai mais.

Evite responder com “tanto faz” ou “qualquer um”. Faça escolhas claras e objetivas, pois o diretor quer ver como você desempenha determinado papel.

Apresente-se bem à equipe de teste

Ser cordial com as pessoas é uma obrigação de todos. E é muito bem vista nos teste, portanto, seja simpático com as pessoas, as cumprimente e, após isso, fique na sua, sendo o mais discreto possível.

Fique atento ao que os produtores falarão, pois estarão inseridas as informações para que você se apresente. Seja sempre breve, colocando as informações mais importantes.

A regra dos três C’s

Jamais se esqueça disso: confortável, carismático e confiante. Esses três C’s devem sempre te acompanhar, em qualquer teste que você for fazer. Você precisa se destacar no meio de várias pessoas que estão lá para se apresentar.

Escolha o melhor horário

Se você puder escolher, fique com os primeiros horários para se apresentar. O processo é longo, cansativo e, com o passar do tempo, a equipe tende a ficar mal-humorada e cansada. Portanto, escolhe sempre o primeiro horário.

Faça diversos testes

Quanto mais teste você fizer, mais experiente você estará, portanto, sua preparação será melhor.

Conheça agora mesmo as 3 técnicas para ser um especialista em interpretação! Você vai compreender os detalhes sobre isso agora!

3 técnicas para ser um especialista em interpretação

Quando vai entrar no palco, seja um ator iniciante ou alguém com anos de experiência na profissão, a interpretação do texto pode ser um problema, afinal qualquer erro na compreensão do que o ator quis passar com aquelas linhas pode alterar completamente o perfil do personagem construído.

Imagine, por exemplo, os efeitos para o personagem se um ator, ao se deparar com o roteiro sobre vilões clássicos, mas dúbios, não conseguisse compreendê-los? Os personagens seriam rasos, não entregariam aquilo que o auto realmente desejou. E isso seria frustrante, tanto quem está interpretando, quanto para quem assiste.

Para tornar a interpretação dos textos mais fácil e garantir que você se torne um verdadeiro especialista no assunto, reunimos aqui as três técnicas que você poderá colocar em prática agora mesmo.

Leitura detalhada

Alguns textos, sobretudo os de peças clássicas, podem ter uma linguagem um pouco mais rebuscada, com palavras que não são utilizadas em nosso dia a dia há décadas (ou nem sequer chegaram a fazer parte do nosso idioma).

Essa dificuldade pode gerar falhas na interpretação, já que o autor muitas vezes não compreende o significado dessas palavras e muito menos sabe o que o autor quis dizer quando as escreveu.

Para contornar esse problema, uma técnica que permitirá ao ator em cena dominar completamente a interpretação do texto é ler, com cuidado, o roteiro. Se possível, até mesmo com um dicionário à mão. Assim, tudo o que lhe parecer estranho poderá ser consultado e anotado.

Utilização de paráfrases

Uma técnica interessante para interpretar o texto que se está lendo é a criação de paráfrases, ou seja, explicações sobre o que está escrito ali. Essa técnica ajuda bastante quando o texto é bastante complexo, ou é preciso compreender alguns dilemas vividos pelo personagem ou porque ele age de determinada forma.

Um exercício interessante não só para melhorar a interpretação do texto, como também para preparar o ator antes da “entrada” no corpo do personagem, compreendendo seus pensamentos e justificando inclusive algumas ações que antes pareceriam bastante confusas.

A criação das paráfrases pode ser feita em um papel à parte, para não confundir a leitura do roteiro, e utilizada como material de apoio enquanto você estiver estudando o texto que precisa interpretar.

Use o papel

Vivemos na era da tecnologia, e muitos dos textos a que temos acesso, como este, estão na tela de computadores, tablets ou smartphones.

Mas, na hora de interpretar um texto, uma técnica muito simples e que traz excelentes resultados é fazer essa leitura em papel. Apenas o ato de segurar uma folha em suas mãos, se deparar com as letras ali colocadas e poder fazer algumas anotações torna essa interpretação mais fácil.

Isso acontece porque o cérebro pode visualizar melhor as palavras e buscar compreender cada um de seus significados. Lendo em papel você compreende melhor o que o autor realmente quis dizer e o que fazer para interpretar aquele texto adequadamente.

Com essas técnicas, você perceberá que irá tirar de letra qualquer texto.

Em um primeiro momento o teatro foi utilizado pelos padres jesuítas com o intuito de catequização dos índios. Ficou interessado? Veja mais.

Conheça 4 curiosidades da história do teatro no Brasil

A história do teatro no Brasil teve início em meados de 1500, quando os portugueses chegaram às nossas terras e nos tornamos colônia. Em um primeiro momento, essa forma de arte foi utilizada pelos padres jesuítas com o intuito de catequização dos índios.

Isso se deu porque a população indígena já demonstrava grande inclinação para a música e a dança. Sendo assim, os religiosos perceberam o potencial do teatro como uma ferramenta de “civilização” — uma vez que a representação causava muito mais impacto do que um sermão.

No entanto, foi só com a chegada do Romantismo, no século 19, que a prática teatral se desenvolveu no país e grandes nomes começaram a surgir.

Ficou interessado? Então, continue a leitura deste artigo e conheça quatro curiosidades sobre a arte dramática no Brasil!

1. Particularidades do cenário teatral brasileiro

Como se pode perceber pela introdução, a preocupação inicial da prática teatral no Brasil era movida por interesses religiosos e não havia tanto cuidado com o aspecto artístico, mas sim com o pedagógico. As peças eram encenadas em espaços públicos ou em colégios e os atores eram amadores.

No século 17 começaram a surgir peças teatrais que celebravam acontecimentos políticos e algumas festas populares — muitas delas parecidas com o carnaval, pois as pessoas desfilavam com adereços e tocavam instrumentos enquanto dançavam pelas ruas.

Mas foi com a chegada da família real que o país vivenciou um marco no desenvolvimento de seu cenário teatral, no século 19. Isso se deu pelo Decreto de 28 de maio de 1810, assinado por D. João VI, que visava à construção de teatros de qualidade para a nobreza. Porém, as peças encenadas vinham da Europa, principalmente da França, e não traduziam a cultura brasileira.

Em 1880, escravos brasileiros foram libertados na Nigéria e fundaram a Brazilian Dramatic Company, a primeira companhia dramática brasileira. A partir de 1900, o teatro se consagrou e sobreviveu a todas as crises políticas que o país enfrentou, inclusive a ditadura de 1937 a 1945 e o Golpe Militar de 1964.

2. O primeiro teatro do Brasil

Primeiramente, é importante ressaltar que já existiam alguns pequenos teatros espalhados por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Maranhão antes do Decreto de 1810. Dentre eles, podemos citar a Casa da Ópera em Ouro Preto (MG), o Teatro São João em Salvador (BA) e o Teatro União, em São Luís (MA).

Entretanto, o primeiro Grande Teatro brasileiro foi o Real Theatro São João, no Rio, que foi inaugurado em 1813. O edifício sofreu alterações em sua estrutura devido a três incêndios e precisou passar por reformas e até reconstruções. Além disso, mudou de nome algumas vezes — o mais conhecido deles foi Teatro São Pedro. A partir de 1923, passou a ser conhecido por sua alcunha atual: Teatro João Caetano.

Esse teatro é um local muito importante para a história do Brasil, pois foi lá que a primeira Constituição foi assinada. Atualmente, também é conhecido por sua versatilidade, uma vez que recebe peças de gêneros bastante variados. O prédio fica localizado na Praça Tiradentes, no Centro Histórico do Rio de Janeiro.

3. Grandes nomes da história do teatro brasileiro

Agora que você já sabe mais sobre essa arte no país, conheça, a seguir, os principais participantes do cenário teatral ao longo do tempo.

Padre José de Anchieta

Considerado um grande manifestante da cultura medieval no Brasil, José de Anchieta chegou ao país em 1553. Seus autos tinham como objetivo a catequese dos índios e continham características tanto indígenas quanto religiosas. Além disso, sua poesia em verso medieval também merece destaque, bem como a primeira gramática do tupi-guarani — que servia como a cartilha dos nativos.

João Caetano

Nascido no Rio de Janeiro, esse foi um grande ator do século 19 no país e, além de empresário e ensaiador, era autodidata na arte dramática. Seu trabalho é visto como grande referência na reforma do cenário teatral do país e suas ideias estão presentes em seus dois livros: “Reflexões Dramáticas” (1837) e “Lições Dramáticas” (1862).

Em 1860, abriu uma escola de teatro com ensino gratuito e também criou um júri para avaliar e premiar as produções teatrais no país.

Artur Azevedo

Maranhense, Azevedo chegou ao Rio aos 18 anos (em 1873) e foi crítico teatral. Sua carreira nesse ramo começou com a tradução e a adaptação de peças teatrais francesas — foram cerca de 40 comédias que retratavam os costumes da sociedade. Participou da construção do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e tornou-se o nome mais conhecido do cenário dramático nacional daquela época.

Machado de Assis

Você, com certeza, conhece Machado de Assis por seus romances atemporais (como Dom Casmurro e Memórias Póstumas de Brás Cubas), não é mesmo? No entanto, esse grande escritor brasileiro também teve uma importante participação no desenvolvimento da dramaturgia nacional.

Assim como Azevedo, traduziu diversas peças de teatro francesas e foi crítico atuante no Conservatório Dramático. Além de seus livros, deixou poesias, contos, comédias e também algumas peças de teatro.

Quanto a nomes mais atuais, podemos citar Nelson Rodrigues, Dias Gomes, Miguel Falabella e Ivo Bender.

4. As peças teatrais mais icônicas do país

Conheça, agora, as principais obras dramatúrgicas brasileiras, sucesso de público e crítica.

O Juiz de Paz na Roça

É a primeira comédia de costumes brasileiro, tem 23 atos e foi escrita por Martins Pena em 1838 — é considerada uma das melhores obras dramáticas do Brasil, com críticas sociais aos costumes do Rio de Janeiro. Sua primeira encenação nos palcos aconteceu em outubro de 1938.

O Auto da Compadecida

De Ariano Suassuna, foi encenada para primeira vez em 1956, em Pernambuco, e dirigida por João Cândido. Seu sucesso se deu ao misturar de maneira inteligente elementos do barroco católico e da cultura popular, passando pelo cordel e pela comédia. Em 1999 virou filme e é celebrado até hoje.

O Pagador de Promessas

Escrita por Dias Gomes, teve sua estreia em 1960, no Teatro Brasileiro de Comédia, em São Paulo. Seu filme homônimo foi escrito por Anselmo Duarte e lançado em 1962 — o longa levou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, na França.

A Partilha

Esta é a obra mais atual da lista e foi escrita e dirigida por Miguel Falabella em 1991. A comédia dramática ficou 6 anos em cartaz e foi encenada em 12 países, o que levou a uma continuação em 2000: A Vida Passa, também de autoria de Falabella.

Como pudemos perceber, o cenário teatral brasileiro possui uma história muito rica e diversa, com opções que agradam todos os gostos e idades. Apesar da forte influência europeia, principalmente francesa, aos poucos os dramaturgos encontraram sua voz e transformaram o teatro em uma arte bastante democrática.

E aí, curtiu saber mais sobre a história do teatro no Brasil? Então, compartilhe este artigo nas redes sociais e converse sobre o assunto com seus amigos!

Se você precisa ser mais desinibido, com certeza deve empregar as técnicas, que serão explicadas nessa matéria. Se torne uma pessoa mais extrovertida!

Os melhores exercícios de desinibição

Ser uma pessoa inibida pode ser prejudicial no mundo de hoje. Isso se dá principalmente porque todas as relações são pautadas em diálogo e nas expressões de sentimentos. Você já deve ter percebido isso se possui dificuldades em se soltar, porém, não é preciso ter medo das situações ou perder oportunidades de aproveitar a vida. Portanto, alguns exercícios de desinibição simples e práticos poderão ajudá-lo!

Para melhorar isso, separamos alguns exercícios de desinibição. Se você precisa ser mais extrovertido, com certeza deve empregar essas técnicas, que serão explicadas a seguir. Fique de olho e se torne uma pessoa mais extrovertida!

Faça simulação de confiança

Um exercício de desinibição muito simples de ser feito é a simulação de confiança. Essa prática consiste em você se imaginar nas situações em que fica muito tímido, imaginando todas as reações psicológicas e físicas que poderiam acometê-lo.

Depois disso, o processo é fazer exatamente o inverso. Ou seja, se imaginar nas mesmas situações, mas se comportando normalmente, de forma desinibida, confiante e, claro, sem as sensações do caso anterior. Repita essa técnica algumas vezes ao dia e os resultados surgirão!

Incorpore papéis

Essa técnica, muito comum no teatro e consiste em simplesmente interpretar alguns papéis úteis no cotidiano. Se você possui muita inibição e não consegue, por exemplo, falar em situações de trabalho, deve criar papéis que tenham a ver com isso.

Faça como no teatro mesmo: invente uma história complexa e finja ser alguém que você nunca imaginou que conseguiria ser. É importante levar a sua atuação até o final e expandir essa técnica.

Aborde pessoas na rua

Esse, provavelmente, é o mais prático exercício a ser feito. Sempre que sair de casa, converse com alguém na rua. Por exemplo, pergunte onde fica tal endereço ou quantas horas são, mesmo que não precise. Com o tempo, você perceberá que seu medo de falar com desconhecidos está diminuindo.

Dialogue com o espelho

A técnica do espelho é muito usada na psicologia. Por trás do método está uma simples explicação: não sabemos muito bem como nos comportamos. Podemos sentir internamente quando estamos desempenhando uma ação, mas não conseguimos nos analisar objetivamente.

Para realizar a atividade, basta ficar de frente para o espelho e começar a dialogar. É importante seguir um roteiro para tornar a atividade um pouco mais simples. Se você não consegue falar algo, por exemplo, comece tentando por aí.

Você pode tornar esse tipo de técnica um pouco mais aprofundada à medida que você pratica a atividade. Comece com análises das suas expressões faciais e depois parta para a criação de histórias mais completas.

Tenha afirmações positivas

Uma frase comum em muitos meios profissionais é que a “repetição convence”. Para praticar esse exercício de desinibição, vamos precisar de uma folha de papel e uma caneta. Depois, basta anotar tudo que faça bem para você, para sua autoestima e para a sua confiança. Por exemplo, frases como “eu sou muito respeitado”, “sou divertido e engraçado”, “sou bom no que faço”.

Para tornar mais eficaz o exercício, leia em voz alta todas as afirmações positivas e as grave usando seu celular, por exemplo. Dessa forma, sempre que tiver uma sensação de inibição e insegurança, você poderá ouvir a gravação!

Estimule os sentidos

Seus sentidos precisam ser estimulados se você quiser melhorar a sua desinibição. Muitas pessoas prestam atenção apenas no visual e isso é completamente esperado, pois nossa sociedade prioriza demais a visão.

Para quebrar com isso e não entregar a sua inibição em simples atos, que não são expressos na visão, você pode fazer um exercício simples. Basta fechar os olhos e tentar se relacionar a diferentes situações apenas com os outros sentidos.

Reforce o pensamento

Existem algumas crenças e ideias pessoais que contribuem para o fracasso de nossos planos. O ponto chave do exercício para reforçar o pensamento é exatamente criar e se prender às ideais que contribuirão para um futuro melhor.

Como estamos falando de inibição, vale fixar seu pensamento no oposto daqueles que surgem em sua cabeça e que causam insegurança. Por exemplo, se você pensa que não é interessante e atraente, comece a repetir para si mesmo (em voz alta ou não) o contrário.

Uma dica: tente praticar esse exercício em vários momentos do dia e reforce sua ideia por cerca de 60 segundos em cada vez que for praticar.

Pratique discursos

Os discursos podem deixar as pessoas mais introvertidas muito nervosas. Se esse é o seu caso, invente uma história e pratique, também em frente ao espelho. Você pode montar um discurso sobre algo que aprendeu no dia, por exemplo. Assim, você melhora a sua relação com as falas em público. Quem sabe um dia você se tornará um excelente orador!

Crie um roteiro

Semelhante ao exercício de simulação de confiança, o objetivo aqui é criar um roteiro anterior em relação às situações que o incomodam. A finalidade é que você possa prever o que pode acontecer e o que poderá fazer para se livrar do problema.

Por exemplo, se você se sente muito tímido quando alguém puxa conversa com você, crie um roteiro focado no que deixaria você mais confortável e seguro para continuar a conversa e como colocar isso em prática. Isso lhe dará mais segurança no momento em que mais precisar!

Relaxe

Dançar sozinho, ouvir música, praticar yoga, meditar, nadar, andar de bicicleta, tudo é válido. Cada pessoa tem algo que a deixa relaxada, por que não aproveitar isso para tornar a vida diária mais tranquila e divertida? Tenha em mente que quanto mais relaxado e de bem consigo mesmo você estiver, mais segurança terá para lidar com situações adversas.

Como vimos, há vários exercícios de desinibição que podem ser usados por qualquer pessoa e em qualquer situação. Comece com um ou dois e depois, vá agregando outros em sua rotina. A chave para seu sucesso nesse processo de se tornar mais extrovertido é o hábito, tenha isso sempre em mente!

Gostou de nossas dicas sobre exercícios de desinibição? Aproveite e confira nosso post especial sobre como o teatro ajuda na improvisação em situações do dia a dia!

Senso critico

Qual a importância do senso crítico?

A partir do momento que um ser humano nasce até o momento de sua morte, ele aprende uma série de conceitos, dos quais o auxiliam no seu direcionamento da vida. Tais conceitos nada mais são do que ideias que com o passar dos anos vão moldando o caráter do indivíduo, refletindo em todas as suas decisões.

Durante a sua infância, um indivíduo absorve como verdade absoluta tudo aquilo o que lhe é ensinado, como por exemplo, o idioma, as expressões corporais e valores sociais. Na medida em que vai crescendo, novos conceitos são adquiridos. Boa parte das pessoas, já na fase adulto, possui um senso comum, que nada mais é do que o modo de pensar da maioria da sociedade.

Embora o senso comum faça parte do meio em que vivemos, é importante que tenhamos uma visão diferenciada e mais complexa das coisas ao nosso redor. Em outras palavras, é importante que tenhamos o senso crítico desenvolvido.

Mas afinal, por que é tão importante ter senso crítico das coisas?

O senso crítico é importante não apenas durante o período escolar do ser humano, mas toda a sua vida. Um senso crítico ativo auxilia o homem em diversas situações do cotidiano, bem como em circunstâncias onde deve-se agir eticamente e moralmente.

Como desenvolver o senso crítico?

Apesar de soar como um clichê, a recomendação “leia mais” é a melhor maneira de se desenvolver o senso crítico. Afinal, para você poder opinar sobre aquilo que você pensa sobre determinado assunto, é necessário, antes de tudo, conhecê-lo.

No entanto, ainda assim o número de pessoas que têm acesso a mais de uma forma de comunicação e aprendizado é muito baixo. Além do mais, é comum que as pessoas convivam em grupos onde há uma semelhança ou igualdade de opiniões, tornando o desenvolvimento do senso crítico ainda mais difícil.

Para quem busca expandir o seu senso crítico, é essencial fazer algumas mudanças e adotar alguns hábitos. Uma forma de se enriquecer culturalmente é por meio de aulas de teatro.

O teatro é considerado uma das principais formas de aquisição de cultura, e cultura por sua vez gera conhecimento. Com as aulas de teatro o aluno será apresentado a diversos conhecimentos e conceitos, que o auxiliarão na visão de um novo mundo.

Além do mais, o teatro está totalmente relacionado à leitura, que, conforme explicamos, é a melhor forma de se desenvolver o senso crítico.

A reflexão é um ponto crucial

Ao adquirir um conhecimento ou ensinamento, é muito comum os aceitarmos sem fazer questionamentos ou refletir sobre o assunto. Isso é um grande equívoco.

A reflexão feita através dos entendimentos dos porquês, do contexto e de como determinado assunto afeta os indivíduos envolvidos, nada mais é do que a melhor maneira de se fazer uma avaliação justa.

Trata-se de um processo contínuo, mas na medida em que o tempo vai passando, esta reflexão será um hábito natural. No mundo atual em que vivemos, onde a problematização é uma das principais questões da sociedade, ter um senso crítico ativo faz toda a diferença.