Abordaremos diversos aspectos da comunicação, explicando seus conceitos e sobre como o teatro tem papel importante no desenvolvimento dessa aptidão.

Utilização da comunicação para adquirir oportunidades profissionais

A comunicação é, sem sombra de dúvidas, um dos principais pilares da história da humanidade e da construção de nossa sociedade. De certo modo, é possível afirmar que chegamos ao ponto em que nos encontramos atualmente graças à capacidade humana de comunicar-se. É aí que entra a importância da oratória.

Essa capacidade (também considerada uma forma de arte) vem sendo estudada desde os primórdios, em civilizações como Roma e Grécia antigas. Sua importância abrange diversos campos, desde os âmbitos pessoais como os profissionais e acadêmicos.

No artigo de hoje nós abordaremos diversos aspectos da capacidade de falar em público, explicando melhor os seus conceitos e falando um pouco mais sobre como o teatro, além de auxiliar no desenvolvimento de diversas habilidades, tem papel importante no desenvolvimento dessa aptidão.

Boa leitura!

O que é oratória?

Ela é descrita como a capacidade de falar em público de forma adequada, envolvendo diversas técnicas e regras que têm como principal objetivo captar a atenção dos espectadores, cativando-os e passando a mensagem pretendida de maneira completa.

As habilidades linguísticas estão divididas em escrita, leitura, audição e fala. Todos esses mecanismos, em união, são os responsáveis pela nossa capacidade de comunicação com outros seres humanos. Esse campo, no entanto, é o responsável pelo estudo das habilidades de fala em público.

Nos dias atuais, com a diminuição do contato pessoal e o aumento das interações virtuais, as capacidades de oratória de maioria da população vêm diminuindo cada vez mais.

Em um sentido mais amplo, a oratória está intimamente ligada à retórica. Esta é tida como a argumentação utilizada para persuadir aquele com quem estamos falando, seja por meio de palavras, gestos ou imagens. Um bom orador é capaz de utilizar tais conceitos ao se dirigir a um público, fazendo com que ele acredite no que é dito.

No entanto, ter uma boa oratória vai muito além de simplesmente falar bem. A arte de comunicar-se em público envolve outros aspectos importantes, como:

  • apresentação pessoal;
  • postura;
  • dicção;
  • argumentação;
  • confiança.

Por conta disso, o desenvolvimento de todos esses atributos é crucial para aqueles que querem ser bons oradores.

Qual a importância de ter boa oratória?

Embora isso faça parte do senso comum, se engana quem acredita que apenas indivíduos que trabalham com a comunicação podem se beneficiar com o estudo da oratória.

Como vimos anteriormente, a comunicação envolve outros quesitos além da capacidade de falar bem. No entanto, todos os melhores comunicadores que já passaram pela história da humanidade eram excelentes oradores.

Afinal, a capacidade de juntar palavras de forma eficiente e transmitir opiniões, sentimentos e ideias por meio delas é uma grande vantagem. Entre os grandes mestres da oratória, podemos citar personalidades como:

  • Alexandre, o Grande;
  • Winston Churchill;
  • Adolf Hitler;
  • Martin Luther King;
  • Mahatma Gandhi;
  • Steve Jobs;
  • Nelson Mandela.

Como podemos perceber, essas pessoas mudaram o mundo de alguma forma (algumas, infelizmente, utilizaram o seu talento para atividades nada benéficas). Seus discursos ainda fazem história atualmente, dezenas ou centenas de anos após as palavras serem ditas. Assim, fica bem claro o poder da oratória.

Falar bem, com clareza, objetividade e confiança é uma incrível ferramenta de persuasão e transmissão de informação. Um bom orador pode ser uma incrível adição a qualquer empresa, em absolutamente qualquer segmento.

No âmbito profissional, a capacidade de falar em público é uma habilidade vital para ter e aprimorar. Ela possibilita interações simples e cotidianas entre colegas de trabalho, chefes e funcionários, além de impactar positivamente o relacionamento e a experiência da empresa com os seus clientes.

Por conta disso, os empregadores buscam por funcionários que possuam a capacidade de se comunicar de forma eficiente. Infelizmente, algumas pessoas sofrem com um medo patológico de falar em público, o que pode causar prejuízos em diversos campos das vidas de tais indivíduos.

O que é o medo de falar em público?

Apesar da importância histórica da comunicação, poucas pessoas podem dizer que se sentem naturalmente confortáveis ao falar para públicos — sejam eles grandes ou pequenos. Esse é, na verdade, um medo bastante comum. Tão comum que possui até mesmo um termo médico para defini-lo: glossofobia.

Para o glossofóbico, enfrentar uma plateia pode ser o pior de todos os pesadelos. Os principais sintomas envolvem sinais físicos e psicológicos, que incluem:

  • suor excessivo (em todo o corpo, mas, principalmente, nas palmas das mãos);
  • tremores e sensação de pernas bambas;
  • rigidez ou dores musculares (especialmente nos ombros e pescoço);
  • secura na boca;
  • palpitações e aceleração cardíaca;
  • visão escurecida;
  • queda ou aumento da pressão arterial;
  • dores e desconfortos estomacais;
  • alterações na voz e na fala, como fraqueza, tremor ou gagueira;
  • dores de cabeça;
  • náuseas, enjoos e até mesmo vômitos;
  • ataques de pânico.

As causas para esse problema são desconhecidas, mas pesquisadores e especialistas em psicologia estimam que ele pode estar ligado a eventos traumáticos ou a outras questões emocionais, como baixa autoestima ou falta de confiança. O tratamento inclui a execução de terapias comportamentais e, às vezes, o uso de medicações de suporte.

Vale a pena salientar que apresentar alguns dos sintomas citados não quer dizer, de forma alguma, que você é glossofóbico. Na verdade, a maioria dos oradores (mesmo os mais experientes) afirma sentir um certo desconforto antes de uma apresentação em público.

Afinal, quem nunca sentiu um friozinho na barriga antes de apresentar um trabalho escolar, não é mesmo? O problema normalmente é definido pelo aparecimento frequente dos sintomas, além de levar outros fatores em consideração, como a ocorrência de incapacitação (quando não conseguimos efetuar tarefas simples devido ao medo).

Por conta disso, o diagnóstico deve ser feito por um profissional qualificado, que indicará o melhor tratamento de acordo com cada caso.

Como a oratória pode ser desenvolvida?

Como mencionado, nem sempre o medo de falar em público pode ser descrito como uma fobia e, portanto, o tratamento médico especializado não é necessário na maioria das vezes.

Isso não quer dizer, é claro, que devemos deixar o desconforto de falar para várias pessoas ‘’por isso mesmo’’, já que, além de prejudicar diversas relações em nossas vidas, esse receio pode nos fazer perder importantes oportunidades profissionais.

Felizmente, existem formas simples de melhorar nossa capacidade de oratória no dia a dia, com pequenas mudanças que fazem toda a diferença. Confira algumas dicas a seguir:

Prepare-se muito bem

Embora não garanta 100% de sucesso, a preparação é uma das chaves para que qualquer apresentação saia de acordo com o planejado. Por isso, separe um tempo considerável para deixar tudo pronto antes do grande momento.

Não tenha vergonha de praticar em voz alta em frente a um espelho ou de gravar a si mesmo e assistir em seguida. Outra dica importante é obter inspiração de várias fontes antes de começar os preparativos.

Veja discursos de grandes oradores, assista às suas palestras e leia as transcrições de suas palavras. Sentir-se preparado e inspirado ajudará você a mandar o nervosismo e a ansiedade para bem longe.

Destaque os seus pontos fortes

Além de trabalhar a confiança, para ser um bom orador é importante trabalhar também a autoestima. Aprender a reconhecer os pontos fortes (e, é claro, as fraquezas) é essencial para saber exatamente o que destacar no momento das falas em público.

O autoconhecimento também é uma ferramenta essencial, pois permite que o locutor não cometa o erro grave de tentar ser o que não é. Lembre-se de acreditar fortemente em suas opiniões e passar toda essa força para o público, que acreditará no que você tem a dizer.

Coloque-se no lugar de seu público

Ter empatia é fundamental para todos os seres humanos, certo? No entanto, essa qualidade se torna um diferencial ainda maior para os que buscam melhorar sua oratória. A capacidade de colocar-se no lugar do próximo pode, sem dúvidas, deixar você muito a frente quando se trata de agradar o seu público.

Ao ser empático, você consegue mensurar exatamente o que as pessoas querem ouvir e pode direcionar a mensagem para aquele grupo específico de indivíduos. Escolher a linguagem certa e falar exatamente sobre os temas que o público quer saber passará muito mais credibilidade aos espectadores.

Cuide de sua aparência

Trabalhar a autoestima significa, indiretamente, cuidar da sua aparência. Afinal, ela é o modo como você se apresenta para o seu público. Para os espectadores, um locutor apresentável transmite credibilidade e demonstra respeito por aqueles que estão escutando. Lembre-se de que a primeira impressão é aquela que fica.

Além disso, tente manter sempre um sorriso em seu rosto. Certos sentimentos são contagiantes e um público que lida com um palestrante feliz e confiante certamente se sentirá da mesma forma, fazendo de sua fala um grande sucesso.

Aprenda a ouvir

Um bom falante deve, primeiramente, ser um bom ouvinte. Por incrível que pareça, a maioria esmagadora das pessoas tem dificuldades em compreender o que o próximo está tentando dizer. Um dos maiores erros cometidos pelos aspirantes a oradores é não questionar o público, dirigindo questões diretamente a ele.

Preparar falas interativas, que contem com a participação dos espectadores, é um ótimo meio de melhorar a sua oratória e trazer mais confiança. A interação com o público também garantirá uma maior compreensão de tudo aquilo que você está tentando passar, além de fazer com que as pessoas se sintam mais próximas.

Aprenda a lidar com todos os tipos de feedback

Todos nós sabemos como receber elogios pode ser incrível. Ter seu trabalho duro reconhecido é uma ótima sensação, capaz de melhorar o dia de qualquer mortal. Infelizmente, é impossível agradar a gregos e troianos e todos precisaremos lidar com feedbacks negativos de vez em quando.

Por isso, é importante tentar não se cobrar excessivamente quando o público não estiver tão receptivo. O nervosismo, além de não resolver o problema, pode causar ainda mais prejuízos. Mantenha-se firme até o final e avalie todas as questões posteriormente para não cometer os mesmos erros em sua próxima apresentação.

Além de todas essas opções, podemos citar o teatro como uma atividade de grande importância no desenvolvimento da oratória, mesmo para os que não buscam uma carreira na área. As aulas, nesse caso, podem ser até mesmo indicadas como um tratamento adicional à glossofobia.

Como o teatro ajuda no desenvolvimento da oratória?

Como conversamos no tópico anterior, o teatro pode ser um grande aliado na luta contra o medo de falar em público — além de auxiliar aqueles que já se sentem confortáveis com essa situação e buscam melhorar ainda mais suas capacidades e destacar-se em diversos ambientes.

Além de proporcionar diversos aprendizados ligados ao âmbito teatral e possibilitar a criação de novos laços de amizade, as artes cênicas são responsáveis pelo desenvolvimento de diversas habilidades importantes. Entre elas, podemos citar a oratória.

Embora a maioria das pessoas acredite que essa capacidade seja trabalhada diretamente durante as aulas, isso nem sempre é verdade. Existem, é claro, exercícios específicos para esse fim — afinal, falar bem é um requisito crucial para ser um bom ator ou atriz, não é mesmo?

No entanto, fazer aulas de teatro também auxilia oradores em potencial de forma indireta, trabalhando pontos interligados à arte da comunicação. Entre eles, podemos citar:

  • dicção;
  • postura;
  • consciência e controle corporais;
  • autoconhecimento;
  • confiança;
  • autoestima;
  • criatividade;
  • liderança;
  • presença de palco;
  • trabalho em grupo;
  • empatia;
  • argumentação.

Por se tratar de uma arte humana, inclusiva e poderosa, o teatro abrange os âmbitos físicos e psicológicos daqueles que o estudam. Os alunos que optam por essas aulas são agraciados com conhecimentos gerais, que auxiliam em diversas áreas de sua vida e melhoram as chances de conseguirem boas oportunidades de emprego.

Agora sabemos como o teatro ajuda na vida pessoal e a importância do desenvolvimento de uma boa oratória, fundamental para a melhoria de relações pessoais — além de servir como um incrível diferencial que potencializa as chances de você conseguir uma ótima oportunidade profissional.

Dê uma chance e veja por si mesmo todos os benefícios dessas aulas! Em caso de dúvidas ou sugestões, não hesite em entrar em contato com a gente! Nossa equipe está sempre à disposição para responder qualquer pergunta e atendê-lo da melhor forma possível.

Até a próxima!

    Quer aprender a se comunicar melhor? Receba nossas dicas:

    Sem comentários

    Cancelar